terça-feira, 30 de abril de 2013

Saudações

Toda saudação deve basear-se em pensamentos de paz e alegria.
Pense no seu contentamento quando alguém lhe endereça palavras de afeto e simpatia, e faça o mesmo para com os outros.
Mobilize o capital do sorriso e observará que semelhante investimento lhe trará precioso rendimento de colaboração e felicidade.
Uma frase de bondade e compreensão opera prodígios na construção do êxito.
Auxilie aos familiares com a sua palavra de entendimento e esperança.
Se você tem qualquer mágoa remanescendo da véspera, comece o dia, à maneira do Sol: - esquecendo a sombra e brilhando de novo.

(Obra: Sinal verde - Francisco Cândido Xavier / André Luiz)


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Oração refazente

...Almas da Terra!
Quando o fragor das inquietações estiver a ponto de estraçalhar-vos; se nas encruzilhadas não souberdes o caminho a seguir e todas as rotas vos parecerem acesso a abismos; quando insuportável desesperação vos houver arrastado a conclusões infelizes que vos pareçam ser a única solução; quando os infortúnios, em vos excruciando, tenderem a tornar-vos indiferentes ao próprio sofrimento — tendes o veículo da oração e dispondes do acesso à meditação remediadora! Talvez não vos sejam supressos os problemas, nem afastadas as dificuldades. No entanto, dilatareis a visão, para melhor e mais apurado discernimento; lobrigareis mais ampla compreensão da vida e das suas legítimas realidades; experimentareis a presença de forças ignotas, que vos penetrarão, vitalizando-vos; elevar-vos-eis a zonas psíquicas relevantes, donde volvereis saturados de paz, com possibilidades de prosseguirdes, não obstante quaisquer difíceis conjunturas existentes ou por existirem. Porque a prece apazigua e a meditação refaz; a oração eleva, enquanto a reflexão sustenta; o pensamento nobre, comungando com Deus, em Deus haure a vida, e dialogando, em conúbio de amor, extravasa as impurezas e se impregna com as sublimes vibrações da afetividade, que se converte em força dinâmica, para sustentar as combalidas potencialidades que, então, se soerguem e não mais desfalecem.
Não vos arrojeis desastradamente nas valas da ira irrefreável ou nas vagas da insensatez. Antes que vos assaltem os demônios do crime, erguei-vos do caos, pensando e orando.
Há ouvidos atentos que captarão vossos apelos e cérebros poderosos que emitirão mensagens-respostas, que não deveis desconsiderar.
Amores que vos precederam no além-túmulo vigiam e esperam por vós, amam e aguardam receptividade.
Não vos enganeis, nem vos desespereis vãmente. Tende tento! Falai ao Pai na prece calma e silenciai para O ouvirdes, através da inspiração clarificadora.
Nada exijais. Quem ora, não impõe. Orar é abrir a alma, externar estados íntimos, refugiar-se na divina sabedoria, a fim de abastecer-se de entendimento, penetrando-se de saúde interior...
E quando retornardes da incursão pela prece, exultai, apagando as sombrias expressões anteriores, superando as marcas das crises sofridas e espargindo alegrias, em nome da esperança que habitará em vós.
Trabalhando pelo bem, o homem ora.
Orando, na aflição ou na alegria, o homem trabalha. E orando conseguirá vencer toda tentação, integrar-se com plenitude no espírito da vida, que flui da Vida Abundante, com forças superiores para trabalhar e vencer...

Victor Hugo
(Sublime Expiação, Victor Hugo – Ed. FEB, 7ª ed., 1992, pag. 145)
(Fonte: “A prece segundo os Espíritos — coletânea mediúnica ilustrada – Divaldo Pereira Franco – Diversos Espíritos – Org. por Washington Luiz Nogueira Fernandes)


domingo, 28 de abril de 2013

Carole King

Someone who believes in you

O problema de agradar

Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo do Cristo — Paulo. (Gálatas, Capítulo 1, Vercículo 10.

Os sinceros discípulos do Evangelho devem estar muito preocupados com os deveres próprios e com a aprovação isolada e tranqüila da consciência, nos trabalhos0 que foram chamados a executar, cada dia, aprendendo a prescindir das opiniões desarrazoadas do mundo.
A multidão não saberá dispensar carinho e admiração senão àqueles que lhe satisfazem as exigências e caprichos; nos conflitos que lhe assinalam a marcha, o aprendiz fiel de Jesus será um trabalhador diferente que, em seus impulsos instintivos, ela não poderá compreender.
Muita inexperiência e invigilãncia revelará o mensageiro da Boa Nova que manifeste inquietude, com relação aos pareceres do mundo a seu respeito; quando se encontre na prosperidade material, em que o Mestre lhe confere mais rigorosa mordomia, muitos vizinhos lhe perguntarão, maliciosos, pela causa dos êxitos sucessivos em que se envolve, e, quando penetra o campo da pobreza e da dificuldade, o povo lhe atribui as experiências difíceis a supostas defecções ante as sublimes idéias esposadas.
É indispensável trabalhar para os homens, como quem sabe que a obra integral pertence a Jesus-Cristo. O mundo compreenderá o esforço do servidor sincero, mas, em outra oportunidade, quando lho permita a ascensão evolutiva.
Em muitas ocasiões, os pareceres populares equivalem à gritaria das assembléias infantis, que não toleram os educadores mais altamente inspirados, nas linhas de ordem e elevação, trabalho e aproveitamento.
Que o sincero trabalhador do Cristo, portanto, saiba operar sem a preocupação com os juízos errôneos das criaturas. Jesus o conhece e isto basta.

Emmanuel
Obra: Pão Nosso

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Círculos intercessórios

“Ajudando-nos também vós com orações por nós, para que pela mercê, que por muitas pessoas nos foi feita,por muitas também sejam dadas graças a nosso respeito”
II Coríntios, 1:11


O mal empreende o ataque, o bem organiza a defesa. O primeiro movimenta a agressão, estabelece o terror, espalha ruínas. O segundo mobiliza o direito, cria energias novas, eleva sentimentos e consciências.
Os povos pacíficos da atualidade encontram problemas de solução imediata, cuja equação requer ânimo sadio. Como interpretar o assédio da força? Como receber as novas modalidades de tirania?
O ataque do mal vem à sombra da noite, o golpe traiçoeiro não espera declarações diplomáticas, nem a invasão generalizada obedece a protocolos políticos.
Muitas nações mantiveram-se à margem dos grandes conflitos, guardando a neutralidade e as tradições do direito internacional. Nem por isso, todavia, tornaram-se respeitadas. A onda de barbarismo envolve países, coletividades, continentes.
É necessário que o bem organize a defesa.
Muita gente pergunta:- Combater por quê? Estamos com Jesus que ensinou o bem e a paz. Entretanto, é indispensável não esquecer que existem padrões de pacifismo e padrões de passividade.
O Mestre é o Príncipe da Paz. Contudo, é imprescindível raciocinar quanto ao que seria do cristianismo se Jesus houvesse entrado em acordo com os fariseus do templo… A batalha do Calvário iniciou o movimento de defesa do Evangelho.Continuaram, então, as batalhas cristãs, desde os circos romanos até aos campos sangrentos da atualidade.
Eis que o Brasil, generoso e pacífico, foi convocado às lutas da defesa1. Nesta hora grave, recordemos a exortação confiante de Paulo:- “Fundemos círculos intercessórios para a cooperação ativa junto às vanguardas vigilantes”.
Organizemos ligas de orações nos templos, nas instituições e nos lares, compadecendo, espiritualmente no esforço defensivo, auxiliando também nós, no valoroso combate do bem.

Emmanuel

Familiares problemas

Desposaste alguém que não mais te parece a criatura ideal que conheceste. A convivência te arrancou aos olhos as cores diferentes com que o noivado te resguardava o futuro que hoje se fez presente.
Em torno, provações, encargos renascentes, familiares que te pedem apoio, obstáculos por vencer. E sofres.
Entretanto, recorda que antes da união falavas de amor e te mostravas na firme disposição em que assumiste os deveres que te assinalam agora os dias, e não recues da frente de trabalho a que o mundo te conduziu.
Se a criatura que te compartilha transitoriamente o destino não é aquela que imaginaste e sim alguém que te impõe difícil tarefa a realizar, observa que a união de ambos não se efetuaria sem fins justos e dá de ti quanto possível para que essa mesma criatura venha a ser como desejas.
Diante de filhos ou parentes outros que se valem de títulos domésticos para menosprezar-te ou ferir-te, nem por isso deixes de amá-los. São eles, presentemente na Terra, quais os fizemos em outras épocas, e os defeitos que mostrem não passam de resultados das lesões espirituais causadas por nós mesmos, em tempos outros, quando lhes orientávamos a existência nas trilhas da evolução.
É provável tenhamos dado um passo à frente. Talvez o contato deles agora nos desagrade pela tisna de sombra que já deixamos de ter ou de ser. Isso, porém, é motivação para auxílio, não para fuga.
Atentos ao princípio de livre arbítrio que nos rege a vida espiritual, é claro que ninguém te impede de cortar laços, sustar realizações, agravar dívidas ou delongar compromissos.
Divórcio é medida perfeitamente compreensível e humana, toda vez que os cônjuges se confessam à beira da delinqüência, conquanto se erija em moratória de débito para resgate em novo nível. E o afastamento de certas ligações é recurso necessário em determinadas circunstâncias, a fim de que possamos voltar a elas, algum dia, com o proveito preciso.
Reflete, porém, que a existência na Terra é um estágio educativo ou reeducativo e tão só pelo amor com que amamos, mas não pelo amor com que esperamos ser amados, ser-nos-á possível trabalhar para redimir e, por vezes, saber perder para realmente vencer.

(Obra: Na Era do Espírito - Francisco Cândido Xavier / Emmanuel)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

As forças do amanhã

“Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda?” – Paulo (I Coríntios, 5:6)

Ninguém vive só.
Nossa alma é sempre núcleo de influência para os demais.
Nossos atos possuem linguagem positiva.
Nossas palavras atuam à distância.
Achamo-nos magneticamente associados uns aos outros.
Ações e reações caracterizam-nos a marcha.
É preciso saber, portanto, que espécie de forças projetamos naqueles que nos cercam.
Nossa conduta é um livro aberto.
Quantos de nossos gestos insignificantes alcançam o próximo, gerando inesperadas resoluções.
Quantas frases, aparentemente inexpressivas, arrojadas de nossa boca estabelecem grandes acontecimentos.
Cada dia emitimos sugestões para o bem ou para o mal.
Dirigentes arrastam dirigidos.
Servos inspiram administradores.
Qual é o caminho que a nossa atitude está indicando?
Um pouco de fermento leveda a massa toda.
Não dispomos de recursos para analisar a extensão de nossa influência, mas podemos examinar-lhe a qualidade essencial.
Acautele-te, pois, com o alimento invisível que forneces às vidas que te rodeiam.
Desdobra-se-nos o destino em correntes de fluxo e refluxo. As forças que hoje se exteriorizam de nossa atividade voltarão ao centro de nossa atividade, amanhã.

(De “Segue-me!...”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Emmanuel

Que admitisse no Espiritismo uma doutrina de acomodação com o menor esforço, na qual as inteligências desencarnadas devessem andar cativas aos caprichos dos homens, decerto vaguearia, irresponsável, à distância da Lei.
Descerrando o intercâmbio entre os dois mundos, a nossa fé não vem pulverizar os óbices do caminho que para todos nós funciona à conta de estímulo e advertência, amparo e lição.
Achamo-nos todos, encarnados e desencarnados, na sublime escola da vida.
Cada criatura estagia na experiência que abraçou ou na luta que preferiu.
Não seria lógico subtrair o remédio ao doente, o serviço ao trabalhador e o ensinamento ao aprendiz.
Somos prisioneiros de nossas próprias culpas, não burlaremos a justiça.
Todavia, pela nossa conduta no trilho espinhoso da regeneração, podemos conquistar amplo socorro da confiança divina.
Eis, porque, antes de pedir, devemos merecer, para que nossos apelos não se apaguem no clamor do petitório vazio e inútil.
Para rogar proteção é preciso também proteger.
Somos elos da imensa corrente da evolução que em se perdendo no abismo insondável das origens repousa, com segurança, nas mãos misericordiosas e justas de Deus.
Desse modo, suplicando auxílio aos Benfeitores que nos auxiliam, não nos esqueçamos de que é necessário auxiliar aos irmãos menos felizes que gravitam em torno de nossos passos.
Os obstáculos são bênçãos em que podemos receber e dar, conforme a nossa atitude perante a vida.
Recolhendo sem revolta as pedras do caminho e oferecendo ao espinheiro as flores de nossa fé, atraímos o concurso do Céu e inspiramos a paz e o perdão, a bondade e a renúncia àqueles que nos partilham as dificuldades e o sonho de cada dia.
Cada um de nós permanece, portanto, entre os instrutores do monte da luz e os necessitados do vale das trevas, com a possibilidade de amealhar as bênçãos do Alto e com a obrigação de distribuí-las.
Em razão disso, no estudo da assistência salvadora que nos é administrada, não nos esqueçamos de que outros irmãos, em problemas e lutas mais aflitivas que as nossas, estão esperando por nossa fraternidade e por nosso auxílio que somente ao preço de humildade e de amor conseguiremos distender.

Obstáculos
(Obra: Doutrina de Luz -Francisco Cândido Xavier / Emmanuel)

terça-feira, 23 de abril de 2013

Terapia pela oração


Consideremos a oração como sendo o mais eficiente recurso terapêutico, para a profilaxia das enfermidades que avassalam a criatura.
Diante dos irmãos colhidos pelas enfermidades espirituais, utilizemo-nos da oração como o enfermeiro diligente aplica o bálsamo refrigerador na ferida em chaga viva.
A oração irradia vibrações balsamizantes, que diminuem a ardência do sofrimento no ser desesperado, diminuindo-lhe a angústia.
Abre o canal do entendimento, a fim de que, em duas vias, o apelo da alma se dirija a Deus e a resposta divina chegue à criatura.
Enseja a inspiração de quem a formula e a tranquilidade em que a recebe.
Em qualquer circunstância, especialmente no intercâmbio pela mediunidade a serviço da desobsessão, a prece, ungida de amor, é dos mais salutares recursos para se alcançar a meta do entendimento que se busca.
Por isto, o Apóstolo asseverava: Orai sempre e sem cessar.

(De: “Suave Luz nas Sombras”, de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito João Cléofas)

Na seara de Jesus

A tarefa no Evangelho não pode ser diferente, hoje, quando confrontada com os empeços de que se constituía nos tempos passados.
Temos companheiros e companheiros.
Alguns chegam inflamados de zelo apostólico ao campo de serviço, trazendo a força do exemplo e o lume da inspiração para o erguimento geral; outros surgem necessitados de socorro e cooperação, a fim de se levantarem, no espírito, para a desincumbência dos compromissos com que o mundo os honorifica; outros ainda aparecem tocados de bons desejos misturados de provações, exigindo paciência para que se equilibrem no plano de ação em que se situam; muitos repontam na coletividade portando votos e promessas brilhantes que não conseguem cumprir; e alguns outros igualmente se destacam, na passagem do tempo, à maneira de amigos dos interesses próprios, buscando vantagens pessoais que não se compadecem com os deveres que assumem.
Todos, porém, são filhos de Deus e tutelados de Jesus - irmãos nossos - cuja presença é fator importante em nosso proveito.
Cada companheiro da seara do bem é oportunidade de trabalho que não nos será justo menosprezar.
Aquele que sabe muito é capaz de ensinar-nos, tanto quanto o portador de talentos sublimes se expressa por luz a guiar-nos na frente; o mais equilibrado é coluna básica no serviço a efetuar-se, amparando-nos as próprias necessidades; aqueles, no entanto, que se revelam menos felizes se erigem como sendo testes à nossa fé para que a caridade do Senhor se manifeste por nosso coração e por nossas mãos.
Auxiliar-nos, sim, e sempre.
As assembléias cristãs que sobrevivem, acima de todas as limitações e circunstâncias da vida, são aquelas em cujo cerne a chama do amor e do perdão não se extingue.
Jesus nos solicita concurso em seu apostolado de redenção e tão-só venceremos amando e servindo-nos uns aos outros, tanto quanto Ele nos ama e serve sempre.

(Obra: Mais Luz - Francisco Cândido Xavier / Batuíra)

sábado, 20 de abril de 2013

Felicidade e Dever

A procura da felicidade assemelha-se, no fundo, a uma caçada difícil:
Há quem a busque nos mitos do ouro, retendo as belas faculdades da alma na fossa da usura;
Há quem a dispute no prazer dos sentidos, acordando no catre da enfermidade;
Há quem a procure na exaltação do poder terrestre, resvalando para a dor e desilusão;
Há quem a procure na retenção do supérfluo, apodrecendo de tédio, em câmaras de preguiça.
Não há felicidade, porém, sem dever cumprido.
Observa o dever de que a vida te incumbe.
Vê-lo-ás sempre no quadro das circunstâncias.
Na fé que te pede serviço.
No serviço que te roga compreensão.
No ideal que te pede caráter.
No caráter que te roga firmeza.
No exemplo que te pede disciplina.
Na disciplina que te roga humildade.
No lar que te pede renúncia.
Na renúncia que te roga perseverança.
No caminho que te pede cooperação.
Na cooperação que te roga discernimento.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Religião dos Espíritos - Ed. FEB

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Tentames eficazes

Liberte-se das coisas que o aprisionam, antes que elas o deixem em frustração. - A generosidade é excelente método para conseguir esse objetivo.
Livre-se de reclamações e exigências impertinentes, considerando que todo problema tem uma colocação interior. - A tolerância é seguro meio para obter êxito.
Afaste as ideias pessimistas, prevenindo-se contra numerosas enfermidades. - A solidariedade gera surpreendentes resultados.
O homem moderno vive momentos graves no processo de sua evolução moral. Não seja daqueles que mais agravam a situação.
Não pese negativamente na economia espiritual da vida. Quem não atrapalha contribui para resultados positivos.
Experimente, cada dia, uma iniciativa nova, sem abandonar o trabalho feliz que tem em pauta.
Verá que tentar, errar e repetir são meios eficazes ao progresso de toda empresa, bem como da pessoa em processo de evolução

Marco Prisco / Médium Divaldo Franco
Livro: Roteiro de Libertação - Ed. LEAL

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Fé e Cultura

Decerto, nem sempre a fé acompanha a expansão da cultura e nem sempre a cultura consegue altear-se ao nível da fé.
Um cérebro vigoroso pode destacar-se no campo dos cálculos ou dos valores artísticos, sem nada entender da resistência moral diante de tentação ou do sofrimento.
De igual modo, um coração fervoroso é capaz de nobres demonstrações de heroísmo perante a dor ou o ataque do mal, embora revele-se inapto a aceitar os ditames da perquirição e do progresso.
Não é justo que a Ciência imponha diretrizes à Religião, incompatíveis com suas necessidades do sentimento, nem que a Religião obrigue a Ciência a adotar normas inconciliáveis com suas exigências do raciocínio.
Na sementeira da fé, aprendamos a ouvir com serenidade para falar com acerto.
Para chegar à cultura, filha do trabalho, o homem é compelido a indagar, examinar e teorizar, mas, para atingir a fé viva, filha do amor, é forçoso servir. E servir é fazer luz.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Ceifa de Luz (extrato) - Ed. FEB

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Injustiças

A fé que tens, tem-na em ti mesmo perante Deus. - Paulo.
(Romanos, 14:22.)


Momentos existem nos quais surgimos diante de nós mesmos na condição de pessoas injustiçadas.
Isso não ocorre tão-somente quando somos focalizados na vida pública, em amplos movimentos de opinião. Pequeninos descontentamentos nos visitam com freqüência, no cotidiano, principalmente:
se somos preteridos no direito que acreditamos pertencer-nos;
se somos arredados de vantagens, ao mesmo tempo que somos forçados a prejuízos;
se alvejados por repreensões que não fizemos por merecer;
se espancados moralmente nas provas que no meamos como sendo ingratidões;
se ficamos deserdados da atenção daqueles que julgamos dever-nos apreço e carinho;
se contrariados nos desejos que consideramos oportunos e justos;
se somos incomodados em nossas realizações pela intromissão de criaturas que nos subestimam os interesses; se apontados pela crítica. . .
Nessas ocasiões achamo-nos habitualmente sob a influência de personalidades outras, sejam amigos ou adversários, que não podem ver de imediato as nossas necessidades e questões por nossos olhos e por nossas conveniências.
Quando isso aconteça, embora a frase de louvor e encorajamento partida de outros em nosso favor seja sempre uma bênção, saibamos perseverar em nosso trabalho com o bem e pelo bem de todos, reconhecendo que há muitas situações na vida em que nos cabe atender, com segurança, à exortação do apóstolo Paulo: A fé que tens, tem-na em ti mesmo perante Deus.

Mensagem de Emmanuel psicografada por Francisco Cândido Xavier. Do livro "Bênção de Paz"


Mensagem:

Realidade

O justo é libertado da angústia, e o perverso a recebe em seu lugar. Pv. 11:8.

O justo é sempre defendido das investidas da angústia, porque seu coração libera constantemente uma alegria pura que liberta e ilumina todos seus sentimentos de paz e amor.
*
A realidade é uma força que desconhece enganos e brilha como o sol da esperança.
*
O homem perverso é contaminado pela tristeza. Às vezes, esforça-se para sair dela, porém, os caminhos que toma são errados. A libertação somente nasce no solo fértil da verdade.
*
A felicidade total na Terra não existe, entrementes, Jesus nos traçou o caminho para encontrá-las.
Não importa a demora, mas sim, que estamos nas veredas certas com o Cristo.
*
A certeza de que somente a caridade guarda a porta da salvação é um grande passo em direção ao progresso.
*
Quando falamos em caridade, lembramos logo de dar pão a quem tem fome, vestir os nus e visitar os enfermos e encarcerados; entretanto, a benevolência não fica somente nisso e estende-se ao infinito. A área mais importante da beneficência está no nosso mundo interno, enquanto ficamos longe do egoísmo.
*
Compadece-te de ti mesmo, e ilumina o teu amor próprio, para que ele se transforme no ambiente de Jesus, em amor universal.
*
Quem ama a verdade, segue a trajetória da luz de Deus para a harmonia da criação.
*
Realidade é um clima de luz onde viceja a esperança. É a verdade fracionada para atender a todas as almas, onde estagiam.
A realidade é vista por muitas lentes; cada Espírito ocupa uma posição na escada do progresso.

(De “Gotas de Amor”, de João Nunes Maia, pelo Espírito Carlos)

terça-feira, 16 de abril de 2013

Você mesmo


Lembre-se de que você mesmo é:
o melhor secretário de sua tarefa,
o mais eficiente propagandista de seus ideais, a mais clara
demonstração de seus princípios,
o mais alto padrão do ensino superior que seu espírito abraça
e a mensagem viva das elevadas noções que você transmite aos
outros.

Não se esqueça, igualmente, de que:
o maior inimigo de suas realizações mais nobres,
a completa ou incompleta negação do idealismo sublime que
você apregoa,
a nota discordante da sinfonia do bem que pretende executar,
o arquiteto de suas aflições
e o destruidor de suas oportunidades de elevação.

— é você mesmo.

André Luiz
(Mensagem retirada do livro "Agenda Cristã"
psicografia de Francisco Cândido Xavier)

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Transição Planetária

“A população terrestre alcança a passos largos o expressivo número de sete bilhões de seres reencarnados simultaneamente, disputando a oportunidade da evolução...
Embora as grandes aquisições do conhecimento tecnológico e dos avanços da ciência na sua multiplicidade de áreas, nestes dias conturbados os valores transcendentes não têm recebido a necessária consideração dos estudiosos que se dedicam à análise e à promoção dos recursos humanos, vivendo mais preocupados com as técnicas do que com o comportamento moral, que é de suma importância. Por isso, a herança que se transfere para as gerações novas que ora habitam o planeta diz mais respeito à ganância, ao prazer dos sentidos físicos, à conquista de espaço de qualquer maneira, dando lugar à violência e à desordem...
Têm ocupado lugar o materialismo e o utilitarismo, contexto em que muitos se comprazem distantes da solidariedade, da compaixão e dos espíritos fraternal, ante a dificuldade da real vivência do amor, conforme ensinado e vivido por Jesus.
Os indivíduos parecem anestesiados em relação aos tesouros da alma, com as exceções compreensíveis.
Felizmente, o fim do mundo de que falam as profecias refere-se àquele de natureza moral, com a ocorrência natural de sucessos trágicos que arrebatarão comunidades, facultando a renovação, que a ausência do amor não consegue lograr como seria de desejar...
Esses fenômenos não se encontram programados para tal ou qual período, num fatalismo aterrador como muitos que ignoram a extensão do amor de Nosso Pai divulgam, mas para um largo período de transformações, adaptações, acontecimentos favoráveis à vigência da ordem e da solidariedade entre todos os seres.
É compreensível, portanto, que a ocorrência mais grave esteja, de certo modo, a depender do livre-arbítrio das próprias criaturas humanas, cuja conduta poderá apressar ou retardar a sua constituição, suavizando-a ou agravando-a...
Se as mentes, ao invés do egoísmo, da insensatez e da perversidade, emitissem ondas de bondade e de compaixão, de amor e de misericórdia, certamente o panorama na Terra seria outro.
Compreendendo-se a transitoriedade da experiência física, no futuro a psicosfera do planeta será muito diferente porque as emissões do pensamento alterarão as faixas vibratórias atuais que contribuirão para a harmonia de todos e para o aproveitamento do tempo disponível.
O amor de Nosso Pai e a ternura de Jesus para com o Seu rebanho diminuirão a gravidade dos acontecimentos, mediante também a compaixão e a misericórdia, embora a severidade da lei do progresso.
Todos nos encontramos, desencarnados e encarnados, comprometidos com o programa da transição planetária para melhor. Por essa razão, todos devemos empenhar-nos no trabalho de transformação moral interior, envolvendo-nos em luz, de modo que nenhuma treva possa causar-nos transtorno ou levar-nos a dificultar a marcha da evolução.
Certamente, os espíritos fixados nas paixões degradantes sintonizarão com ondas vibratórias próprias a mundos inferiores, para eles transferindo-se por sintonia, onde se tornarão trabalhadores positivos pelos recursos que já possuem em relação a essas regiões atrasadas nas quais aprenderão as lições da humildade e do bem proceder. Tudo se encadeia nas leis divinas, nunca faltando recursos superiores para o desenvolvimento moral do espírito.
Nesse imenso processo de transformação molecular até a conquista da angelitude, há vários meios propiciatórios para o crescimento intelecto-moral, sem as graves injunções desagradáveis. Todos esses meios, entretanto, têm como base o amor e o trabalho.
Assim, a divulgação do Espiritismo é de fundamental importância por demonstrar a todos a imortalidade, a justiça divina, a mediunidade, os mecanismos de valorização da experiência na reencarnação e o imenso significado de cada momento existencial. Desse modo, convidemos a todos o aprendizado pelo amor, à reflexão e ao labor da caridade fraternal com que se enriquecerão, preparando-se para a libertação inevitável pela desencarnação, quando ocorrer.
Louvar e agradecer ao Senhor do Universo pela glória da vida que nos é concedida e suplicar-Lhe auxílio para sermos fiéis aos postulados do pensamento de Jesus, nosso Mestre e Guia, constituem deveres nossos em todos os momentos.
Entretanto, todos os trabalhadores do bem devem atentar para o fato de que experimentarão o aguilhão da dificuldade, sofrerão o apodo e a incompreensão desenfreada que têm sido preservados pela invigilância dos que nada contribuem.
Todos serão chamados ao sacrifício, de alguma forma, a fim de demonstrarem a excelência dos conteúdos evangélicos, considerando-se, por um lado, as injunções pessoais que exigem reparação e, por outro, a fidelidade que pede confirmação pelo exemplo.
Que se não estranhem as dificuldades que se apresentam inesperadamente, causando, não poucas vezes, surpresa e angústia. Por isso, o refúgio da razão apresenta-se o lugar seguro para reabastecer as forças e seguir com alegria.
As entidades que se comprazem na volúpia da vampirização das energias dos encarnados distraídos e insensatos, voltam-se contra os emissários de Jesus onde se encontrem, gerando conflitos em sua volta e agredindo-os com ferocidade. O trabalhador do Mestre, por sua vez, deve voltar-se para a alegria do serviço, agradecendo aos Céus a oportunidade auto iluminativa, sem que nisso ocorra qualquer expressão de masoquismo. Aliás, constitui-nos uma honra qualquer sofrimento por amor ao ideal da verdade, à construção do mundo novo.
Que o discernimento superior possa assinalar-nos a todos, e que os mais valiosos recursos que se possuam sejam colocados à disposição do Senhor da Vinha que segue à frente.”

ADDE
Dr. Bezerra de Menezes (espírito) em Amanhecer de uma nova era, de Manoel Philomeno de Miranda (espírito), psicografia de Divaldo Franco.

domingo, 14 de abril de 2013

Mensagem de André Luiz

Na Terra

Na Terra, Deus nos concede o corpo, através de pais amigos.
Cada um de nós se lhe faz o inquilino temporário, em regime de responsabilidade.
Deus nos proporciona a riqueza das horas pela contabilidade do Tempo.
Cada criatura, em momento oportuno, apresentará o relatório dos próprios dias.
Deus nos oferta os laços afectivos pelos princípios da afinidade.
Podemos valorizá-los ou não, conforme o nosso próprio arbítrio.
Deus nos cede a propriedade, por intermédio das leis organizadas pelos próprios humanos.
Daremos conta do usufruto respectivo. Deus nos oferece as sementes pelos recursos da Natureza.
Plantio e colheita são sempre de nossa escolha.
Deus nos confia o dinheiro, através do trabalho ou da generosidade alheia.
Somos responsáveis pela aplicação da finança que nos seja creditada.
Deus nos habilita para a eficiência com máquinas diversas, por meio da própria inteligência humana.
Compete a nós outros a programação e a condução delas.
Em suma, toda criação e doação das vantagens de que dispomos procedem de Deus.
Entretanto, é justo reconhecer que todos os êxitos e problemas da utilização pertencem a nós.

André Luiz / Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: “Passos da vida” - Edição IDE

Culpa

A consciência de culpa é um dos algozes mais cruéis daquele que delinque.
Acompanhando o ser na vida além da vida, estabelece os mecanismos punitivos condizentes à gravidade do delito, a fim de purificar-se, resgatando a culpa mediante sofrimentos indescritíveis.
A consciência de culpa não permite ao equivocado evadir-se da sua presença, ínsita nele próprio.
Assoma, aos primeiros instantes após a desencarnação, abrindo espaços a obsessões severas, nas quais as vítimas ressurgem com aspecto deplorável, seja mediante a imaginação que elabora clichês de justiça, ou através da realidade que vincula o endividado ao devedor, estabelecendo os vínculos da aflição sem término.
Somente quando o ser descobre a necessidade da reparação, utilizando-se dos instrumentos do amor e da edificação íntima, é que luariza a paisagem lúgubre da consciência de culpa, dando lugar a honesta reabilitação propiciadora de paz.
Elegemos, para o nosso ministério de hoje, os Espíritos portadores de consciência culpada, por serem mais sofridos, mais carentes, batendo às portas de alguém que esteja ungido de compaixão para ajudá-los no trânsito difícil da sua reabilitação e, ao atendê-los, tenhamos todos em mente o ensinamento austero de Jesus advertindo-nos: “Aquele que se encontre isento de culpas atire a primeira pedra.”

(De “Suave luz nas sombras”, de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito João Cléofas).

sábado, 13 de abril de 2013

Fé e Cultura

Decerto, nem sempre a fé acompanha a expansão da cultura e nem sempre a cultura consegue altear-se ao nível da fé.
Um cérebro vigoroso pode destacar-se no campo dos cálculos ou dos valores artísticos, sem nada entender da resistência moral diante de tentação ou do sofrimento.
De igual modo, um coração fervoroso é capaz de nobres demonstrações de heroísmo perante a dor ou o ataque do mal, embora revele-se inapto a aceitar os ditames da perquirição e do progresso.
Não é justo que a Ciência imponha diretrizes à Religião, incompatíveis com suas necessidades do sentimento, nem que a Religião obrigue a Ciência a adotar normas inconciliáveis com suas exigências do raciocínio.
Na sementeira da fé, aprendamos a ouvir com serenidade para falar com acerto.
Para chegar à cultura, filha do trabalho, o homem é compelido a indagar, examinar e teorizar, mas, para atingir a fé viva, filha do amor, é forçoso servir. E servir é fazer luz.


Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Ceifa de Luz - Ed. FEB


Efetivamente

Vigiar não é desconfiar. É acender a própria luz, ajudando os que se encontram nas sombras.
Defender não é gritar. É prestar mais intenso serviço às causas e às pessoas.
Ajudar não é impor. É amparar, substancialmente, sem pruridos de personalismo, para que o beneficiado cresça, se ilumine e seja feliz por si mesmo.
Ensinar não é ferir. É orientar o próximo, amorosamente, para o reino da compreensão e da paz.
Renovar não é destruir. É respeitar os fundamentos, restaurando as obras para o bem geral.
Esclarecer não é discutir. É auxiliar, através do espírito de serviço e da boa-vontade, o entendimento daquele que ignora.
Amar não é desejar. É compreender sempre, dar de si mesmo, renunciar ao próprios caprichos e sacrificar-se para que a luz divina do verdadeiro amor resplandeça.

André Luiz
Livro "Agenda Cristã" psicografia de Francisco Cândido Xavier

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Companheiros e amigos

Quando te dispuseres a reclamar contra certos traços psicológicos daqueles que o Senhor te confiou ao ministério familiar, medita na diversidade das criações que compõem a Natureza.
Cada estrela se destaca por determinada expressão.
Cada planta mostra finalidade particular.
A rosa e a violeta são diferentes, conquanto ambas sejam flores.
Os caminhos do mundo guardam linhas diversas entre si.
Também nós, as criaturas de Deus, somos seres que se identificam pela semelhança, mas não somos rigorosamente iguais.
*
Conforme os princípios de causa e efeito, que nos traçam a lei da reencarnação, cada qual de nós traz consigo a soma de tudo o que já fez de si, com a obrigação de extrair os males que tenhamos colecionado até a completa extinção, multiplicando os bens que já possuamos, para dividi-lo com os outros, na construção da felicidade geral.
*
Não queira transformar os entes queridos sob o martelo da força.
Ninguém precisa apagar a luz do vizinho, para iluminar a própria casa.
Uma vela acende outra sem alterar-se.
*
Ama os teus, aqueles com quem Deus te permite compartilhar a existência, entretanto, respeita o caminho de realização a que se ajustem.
Esse escolheu a senda do burilamento próprio; aquele procurou a via do trabalho constante; outro escolheu a trilha de responsabilidades intransferíveis a fim de produzir o melhor; e outro, ainda, indicou a si mesmo, para elevar-se, a vereda espinhosa das provações e das lágrimas.
Auxilia a cada um, como puderes, entretanto, não busques transfigurar-lhes o espírito, de repente, reconhecendo que também nós não aceitaríamos a nossa própria renovação em bases de violência.
*
Ama os entes queridos, tais quais são e quando nas provas a que sejam chamados para efeito de promoção na Espiritualidade Maior, se não consegues descobrir o melhor processo de auxiliá-los, acalma-te e ora pelo fortalecimento e paz deles todos, na certeza de que Deus está velando por nós e de que nós todos somos filhos de Deus.

(De “Companheiro”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Servidor

Sim, era de crer-se que o resultado do Bem fosse diferente.
O serviço do ideal libertador, e abraçando a caridade, seria de esperar-se por menos dores e incompreensões, por melhor colheita de frutos de alegria.
Isso, no entanto, seria um engodo proporcionado pela vida.
O missionário sempre enfrenta os piores desafios.
Quem abre estradas defronta maiores obstáculos.
Aquele que recupera solos áridos sofre dificuldades mais expressivas.
Quando alguém se põe a drenar pântanos e águas putrefatas não se pode furtar à presença dos odores nefastos, nem da lama pestilenta.
Todo aquele que se dispõe a alterar a paisagem moral da sociedade, é sempre considerado excêntrico, quando não se torna vítima de contínuas agressões e combates.
É natural que assim ocorra, porquanto o processo de alteração dos conceitos morais e da conduta pessoal, faz-se, normalmente, penoso.
Qualquer mudança no organismo social para melhor, ocorre de maneira dolorosa, e os seus promotores são perseguidos com acrimônia e perversidade.
Não estranhes a imensa colheita de amarguras do momento.
Todo apóstolo do progresso, da beleza e da fé experimenta a imolação, afim de modificar o grupo no qual se movimenta.
O mesmo ocorre contigo.
Não te deixes desgastar emocionalmente com as ocorrências infelizes que têm lugar a tua volta.
Mantém o ânimo e avança em paz.
Não fosses idealista, e não te encontrasses na ação cristã, sofrerias outras circunstâncias perturbadoras.
Observa aqueles que parecem triunfadores e felizes, aplaudidos e bajulados, quando passarem os seus dias de aparente triunfo, e vê-los-ás abandonados, vencidos, atormentados...
A Terra é planeta de provas, portanto, a luta é labor incessante.
-0-
Quando estejas cansado, renova-te pela prece.
Quando te sintas aturdido pelas ocorrências desagradáveis, recorre à meditação.
Quando te descobrires com estresse e mau humor, recupera-te pensando em Jesus e buscando-O.
Não estás a sós. Seres amados te envolvem nas dúlcidas vibrações que te sustentam as energias, te preservam a saúde e te vitalizam a disposição para continuares servindo.
Já te imaginaste em ociosidade dourada, ou em festas ruidosas, ou em recreações contínuas?
Renasceste para o serviço, pois que aceitaste a tarefa como terapia salvadora.
Provéns de comportamentos anteriores que te alienaram, que te comprometeram.
Hoje é o teu dia de servir.
Não te arrependas da opção elegida.
Dia virá em que as circunstâncias se alterarão e será então a época própria para colher a luz que espalhas e o amor que incutes em outras vidas.
-0-
Ninguém até hoje se revelou maior servidor do que Jesus.
Seu exemplo rutila através dos tempos, iluminando vidas incontáveis.
Ele nunca se queixou, porque sabia que as criaturas humanas ainda se encontram na infância espiritual.
Toma-O como teu modelo e segue adiante.
Quanto mais extenuantes as refregas, mais expressivas se fazem as vitórias.
O servidor está sempre a postos, jovial e bom, ensinando com o exemplo e cantando o hino da alegria de que se sente possuído.
Serve, sem cessar, e prossegue sem enfado e sem desencanto.
És construtor do futuro, no qual Jesus te aguarda para o memorável encontro.

(De “Fonte de Luz”, de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Joanna de Ângelis).


quarta-feira, 10 de abril de 2013

No erguimento da paz


Precisamos dos artífices da inteligência, habilitados a orientar o progresso. Necessitamos, porém, e talvez mais ainda, de quantos se consagram ao cultivo da paz no cotidiano:
- dos que ouvem assuntos graves, tratando-os com bálsamo do entendimento fraterno;
- dos que percebem o erro e procuram saná-lo, sem expandi-lo com críticas destrutivas;
- dos que enxergam problemas e procuram solucioná-los sem conturbar o ânimo alheio;
- dos que recolhem confidências aflitivas, sem passá-las adiante;
- dos que identificam conflitos dos outros, ajudando-os sem referências amargas;
-dos que desculpam ofensas, esquecendo-as;
- dos que apagam o fogo da rebeldia ou da crueldade com exemplos de tolerância;
- dos que trabalham sem criar dificuldades para os irmãos do caminho;
- dos que trabalham sem criar dificuldades para os irmãos do caminho;
- dos que servem sem queixas.
Bem-aventurados os pacificadores – disse-nos Jesus, pois agem na condição de fiéis e

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Ceifa de Luz (extrato) - Ed. FEB

André Luiz

Podando irritações

Se ainda trazes, porventura, o hábito de encolerizar-te e se já consegues reconhecer-lhe os
prejuízos, podes claramente erradicá-la, atendendo à própria renovação.
Inicia as atividades diárias, pensando em Deus e agradecendo as tuas possibilidades de
fazer o bem.
Medita, raciocinadamente, ante o clima de conhecimento superior que já possuis, na certeza
de que te encontras na ocasião de expressar o melhor de ti mesmo.
Pensa nos companheiros até agora capazes de induzir-te ao azedume, por irmãos nossos
com qualidades, por enquanto, imperfeitas tanto quanto as nossas.
Se algum traço de amargura se te fixa no coração relativamente ao comportamento infeliz de
alguém, através de ações que consideres lesivas aos teus ensinamentos, desculpa a esse
alguém, procurando esquecer-lhe a falta naturalmente impensada.
Pondera que se os outros erram, também nós erramos, bastas vezes, na condição de
espíritos, ainda ligados às múltiplas faixas da evolução terrestre.
Não te aceites por infalível, a fim de entenderes com indulgência aqueles que, acaso, te
falharem à confiança.
Reflete na intimidade do coração que ninguém consegue algo realizar sem o concurso de
alguém, para que aproveites os valores maduros dos colaboradores que a Divina Providência
te confiou, sem estragar-lhes os valores ainda verdes.
Abstém-te de lastimar fracassos e dificuldades que já passaram e entrega-te à reconstrução
da própria paz, em bases de serviço e discernimento.
Não nos esqueçamos de que, nas mais complicadas circunstâncias, a vida nos requisita a
prática do bem e que, por isso mesmo, qualquer ocasião, para cada um de nós, é tempo de
compreender e abençoar, auxiliar e servir.

Francisco Cândido Xavier
Livro: Calma
(Pelo Espírito Emmanuel)


terça-feira, 9 de abril de 2013

Que buscais?

“E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais?” — (João, capítulo 1, versículo 38.)

A vida em si é conjunto divino de experiências.
Cada existência isolada oferece ao homem o proveito de novos conhecimentos. A aquisição de valores religiosos, entretanto, é a mais importante de todas, em virtude de constituir o movimento de iluminação definitiva da alma para Deus.
Os homens, contudo, estendem a esse departamento divino a sua viciação de sentimentos, no jogo inferior dos interesses egoísticos.
Os templos de pedra estão cheios de promessas injustificáveis e de votos absurdos.
Muitos devotos entendem encontrar na Divina Providência uma força subornável, eivada de privilégios e preferências. Outros se socorrem do plano espiritual com o propósito de solucionar problemas mesquinhos.
Esquecem-se de que o Cristo ensinou e exemplificou.
A cruz do Calvário é símbolo vivo.
Quem deseja a liberdade precisa obedecer aos desígnios supremos. Sem a compreensão de Jesus, no campo íntimo, associada aos atos de cada dia, a alma será sempre a prisioneira de inferiores preocupações.
Ninguém olvide a verdade de que o Cristo se encontra no umbral de todos os templos religiosos do mundo, perguntando, com interesse, aos que entram: “Que buscais?”

Caminho, Verdade e Vida
Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo Espírito Emmanuel

A prece



A oração não será um processo de fuga do caminho que nos cabe percorrer, mas constituirá uma abençoada luz em nossas mãos, clareando-nos a marcha.
Não representará uma porta de escape ao sofrimento regenerativo de que ainda carecemos, mas expressará um bordão de arrimo, com o auxílio do qual superamos a ventania da adversidade, no rumo da bonança.
Não será um privilégio que nos exonere da enfermidade retificadora, ambientada em nosso próprio templo orgânico pela nossa incúria e pela nossa irreflexão, no abuso dos bens do mundo, entretanto, comparecerá por remédio balsamisante e salutar, que nos remove as energias, em favor de nossa cura.
Não será uma prerrogativa indébita que nos isente da luta humana, imprescindível ao nosso aperfeiçoamento individual, todavia, brilhará em nossa experiência por sublime posto de reabastecimento espiritual, susceptível de garantir-nos a resistência e o valor na tarefa de renunciação e sacrifício em que nos cabe perseverar.
Não será uma outorga de recursos para que os nossos caprichos pessoais sejam atendidos, no jardim de nossas predileções afetivas, contudo, será uma dispensação de forças para que possamos tolerar galhardamente as situações mais difíceis, diante daqueles que nos desagradam, em sociedade ou em família, ajudando-nos, pouco a pouco, a edificar o santuário da verdadeira fraternidade, no próprio coração, em cujos altares amealharemos o tesouro da paz e do discernimento.
Ainda mesmo que te encontres no labirinto quase inextrincável das provações inflexíveis, ainda mesmo que a tua jornada se alongue sob o granizo da discórdia e da incompreensão, em plena sombra, cultiva a prece, com a mesma persistência a que te induzas na procura da água para a sede e do pão para a fome do corpo.
Na dor, ser-te-á divino consolo, na perturbação constituirá tua bússola.
Não olvides que a permanência na Terra é uma simples viagem educativa de nossa alma, no espaço e no tempo, e não te esqueças de que somente pela oração, descobriremos, cada dia, o rumo que nos conduzirá de retorno aos braços amorosos de Deus.

Emmanuel
(De “À luz da oração”, de Francisco Cândido Xavier – Espíritos diversos)

domingo, 7 de abril de 2013

Desalento

Quando floresce o ideal, tudo se colore e o entusiasmo planeja realizações edificantes.
Pela imaginação transitam esperanças em programação feliz e os sentimentos se rejubilam.
Esforço, sacrifício, renúncia transformam-se em combustível e claridade para o labor.
Os equívocos são tolerados e todos parecem aureolados por valores morais e títulos de vitória.
Passado algum tempo, todos ambientados, os de temperamento ardente debandam, queixosos, magoados, dizendo-se decepcionados.
Outros reagem em oscilações complexas.
Um número expressivo persevera, mas padece de sutil e grave interferência: o desalento!
Aqui é um cansaço que disfarça desinteresse.
Ali são aparentes necessidades de ocupações remuneradas, objetivando provisões domésticas.
Acolá são insatisfações com pessoas e ideais.
Quando passes a perceber as limitações alheias, a censurar, a pensar em fuga, reconsidera a tua posição e persiste.
O homem se faz pelo que produz, não pelo em que crê nem pelo que admira.

Joanna de Ângelis / Médium Divaldo Franco
Livro: Rumos Libertadores (Extrato) - Ed. LEAL

sábado, 6 de abril de 2013

Quanto mais

Abençoai sempre as vossas dificuldades e não as lastimeis, considerando que Deus nos concede sempre o melhor e o melhor tendes obtido constantemente com a possibilidade de serdes mais úteis.
*
Quanto mais auxiliardes aos outros, mais amplo auxílio recebereis da Vida Mais Alta.
*
Quanto mais tolerardes os contratempos do mundo, mais amparados sereis nas emergências da vida, em que permaneceis buscando paz e progresso, elevação e luz.
*
Quanto mais liberdade concederdes aos vossos entes amados, permitindo que eles vivam a existência que escolheram, mais livres estareis para obedecer a Jesus, construindo a vossa própria felicidade.
*
Quanto mais compreenderdes os que vos partilham os caminhos humanos, mais respeitados vos encontrareis de vez que, quanto mais doardes do que sois em benefício alheio, mais ampla cobertura de amparo do Senhor assegurará a tranquilidade em vossos passos.
*
Continuemos buscando Jesus em todos os irmãos da Terra, mas especialmente naqueles que sofrem problemas e dificuldades maiores que os nossos obstáculos, socorrendo e servindo e sempre mais felizes nos encontraremos sob as bênçãos dele, nosso Mestre e Senhor.

Bezerra de Menezes
(De “Caridade”, de Francisco Cândido Xavier – Espíritos diversos)

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Face oculta

Viste o malfeitor que a opinião pública apedrejava e anotaste os comentários ferinos de muita gente... Ele terá sido mostrado nas colunas da imprensa por celerado invulgar de que o mundo abomina a presença; entretanto, alguém lhe estudou a face esquerda de sofredor e observou que ninguém, até hoje, lhe ofertou na existência o mínimo ensejo de ser amado, a fim de acordar para o serviço do bem.
Soubeste que certa mulher caiu em desequilíbrio, diante de círculos sociais que fizeram pesar sobre ela a própria condenação... Alguém, todavia, lhe enxergou a face oculta e leu nela, inscrita a fogo de aflição, a história das lutas terríveis que a acusada sustentou com a necessidade, sem que ninguém lhe estendesse mãos amigas, nas longas noites de tentação.
Percebeste a diferença do companheiro que se afastou do trabalho de burilamento moral em que persistes, censurado por muitos irmãos inadvertidamente aliados a todos os críticos que o situam entre os tipos mais baixos de covardia... Alguém, contudo, analisou-lhe a face ignorada, mil vezes batida pelas pancadas da ingratidão, e verificou que ninguém apareceu nos dias de angústia para lenir-lhe o coração, ilhado no desespero.
Tiveste notícia do viciado, socorrido pela polícia, e escutaste os conceitos irônicos daqueles que o abandonaram à própria sorte... No entanto, alguém lhe examinou a face desconhecida de criatura a quem se negou a bênção do trabalho ou do afeto e reconheceu que ninguém o ajudou a libertar-se da revolta e da obsessão.
Quando estiveres identificando as chagas do próximo, recorda que alguém está marcando as causas que as produziram.
Esse alguém é o Senhor que vê o que não vemos.
Onde o mal se destaque, faze o bem que puderes.
Onde o ódio se agite, menciona o amor.
Em toda parte, e acima de tudo, pensemos sempre na infinita misericórdia de Deus, que reservou apenas um Sol para garantir a face clara da Terra, durante as horas de luz, em louvor do dia, mas acende milhares de sóis, em forma de estrelas, para guardar a face obscura do Planeta, durante as horas de sombra, em auxílio da noite, para que ela jamais se renda ao poder das trevas.

Livro: Encontro Marcado
Emmanuel / Francisco Cândido Xavier


quinta-feira, 4 de abril de 2013

Entre hoje e amanhã

Reflete no companheiro que chega cansado e desiludido a esmolar-te simpatia e
consolo.
Sabes talvez, nas mínimas particularidades, tudo o que lhe terá ocorrido. Provavelmente
conheces que se trata de alguém, carregando os grilhões da culpa. Alguém que sobraça
pesada carga de remorsos a lhe atenazarem o coração.
Mentaliza, no entanto, o que faria Jesus se procurado por ele: ouvi-lo-ia com generoso
interesse, descobrir-lhe-ia algum tópico de bondade ou saberia destacar-lhe essa ou
aquela qualidade elogiável, de modo a descerrar-lhe alguma porta mental de bom-ânimo,
auxiliando-o a caminhar para a frente.
Diante dos irmãos que te busquem solicitando conforto depois de quedas e desenganos,
não te disponhas à condenação ou censura.
Pensa no bem que haverão feito, nos impulsos nobres que lhes presidiram os atos e
renova-lhes a confiança em si mesmos.
Compadece-te sobretudo daqueles que se demoram nos problemas da culpa sem
possibilidades imediatas de solução.
Não necessitas reprovar-lhes diretriz e conduta.
Eles já se reconhecem marcados por dentro a fogo de angústia e não te procuram para
que lhes agraves a dor. Suplicam-te paz e refazimento, auxílio e apoio à própria
libertação.
Recorda em quantas ocasiões teremos sido amparados pela bondade do Cristo de Deus
que freqüentemente nos toma o leve fio da intenção correta para transformá-lo em
vigoroso apetrecho de socorro a nós próprios e não menospreze, seja a quem seja.
Importa, ainda, considerar que muitas vezes no campo da ocorrência que se reprove
presentemente, nascerá o acontecimento que nos colherá louvor no futuro.
Além disso, nós todos, os espíritos em evolução nos climas da Terra, somos ainda
portadores de imperfeições e deficiências por vencer, de permeio com obstáculos íntimos
a serem necessariamente transportados, com créditos e débitos, erros e acertos no livro
da própria vida. E, por isso mesmo, em matéria de apoio espiritual, se hoje é o nosso
momento de compreender e de dar, amanhã será talvez o nosso dia de pedir e de
receber.

(Obra: Mãos Marcadas - Francisco Cândido Xavier / Emmanuel)

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Profilaxia da Alma

“O que digo a vós, digo a todos: vigiai.” - Jesus

Calma - em qualquer situação, mesmo quando colhido pelo insucesso.
Esperança – apesar dos fatores que conspirem contra as aspirações.
Bondade – embora triunfem as ardilosas circunstâncias da malícia e da esperteza.
Solidariedade – aos que tombam, contribuindo com a moeda-ternura que os enriquecerá.
Trabalho – embora a indolência incite ao repouso indevido.
Discrição – no falar, no agir e no pensar.
Amor - apesar do clima de preferências e animosidades.
Caridade - sempre.
O homem são os seus pensamentos, que fomentam atitudes e estimulam realizações.
Muitas enfermidades proliferam porque se descuida da profilaxia da alma.
Você pode viver sem muitos, nunca, porém, inimizado consigo mesmo.
Portanto adote profilaxia da alma para dias venturosos hoje e, mais tarde, na vida espiritual.


Marco Prisco / Médium Divaldo Franco
Livro: Momentos de Decisão (extrato) - Ed. LEAL


terça-feira, 2 de abril de 2013

Dinheiro

Abençoa o dinheiro para que o dinheiro te abençoe.
Em verdade, não temos nele a vida, mas em si mesmo se erige por valioso sustentáculo do progresso, sobre o qual a vida se aperfeiçoa.
Não é o amor; entretanto, suscita a simpatia e o reconhecimento em que, muitas vezes, o amor aparece em fontes de luz.
Não é saúde; todavia, assegura o medicamento que combate a enfermidade.
Não é a paz; contudo, é fator de equilíbrio, promovendo o trabalho ou extinguindo muitos dos débitos que atormentam o espírito.
Não é a felicidade; no entanto, pode criar a felicidade a nosso favor, através do bem que é capaz de esparzir.

Emmanuel / Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: Diálogo dos Vivos - Ed. GEEM

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Contra-sensos

Quando a gota se viu qual uma gema valiosa, na folhagem da primavera, insultou o rio em que se formara: Sai da frente, monstro do chão.
Quando o tronco se agigantou diante do firmamento, blasfemou contra a própria raiz: Não me sujes os pés.
Quando o vaso passou pela cerâmica em que nascera, gritou, irado: Não suporto essa lama.
Quando o ouro se ajustou ao palácio, indagou da terra que o produzira: Que fazes aí, barro sujo?
Quando a seda brilhou na pompa da festa disse à lagarta que lhe dera a existência: Não te conheço larva mesquinha.
Quando a pérola fulgiu, soberana, exigiu da ostra em que se criara: Não te abeires de mim.
Quando o arco-íris se viu admirado, acusou o Sol de que se fizera: Não me roubes a luz.
Copiando esses contra-sensos figurados da Natureza, o homem insensato, quando erguido ao pedestal do orgulho pelos abusos da inteligência, costuma escarnecer de si próprio, afirmando orgulhoso: “A vida é poeira e nada, e Deus é ilusão”.

Emmanuel / Médium Chico Xavier
Livro: Caminho Espírita


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...