domingo, 30 de janeiro de 2011

Livro: Benção de Paz

Doações
"... O cumprimento da lei é o amor." - Paulo. (Romanos, 13:10).

Milhares de dádivas transitam na Terra diariamente.
Vemos aquelas que se constituem do dinheiro generoso que alimenta as boas obras; as que se definem por glórias da arte enriquecendo a mente popular; as que se erigem sobre os louros da palavra traçando caminhos para o encontro fraternal entre as criaturas; e aquelas outras, inumeráveis, que consubstanciam a amizade de quem as oferece ou recolhe. Todas elas, demonstrações da bondade humana, são abençoadas na Vida Superior. Entretanto, uma existe, inconfundível entre todas, da qual nós, os seres em evolução no Orbe Terrestre, não conseguimos prescindir...

Ao alcance de todos ela se expressa por exigência inarredável do caminho de cada um. Desejamos referir-nos ao amor, sem o qual ninguém logra subsistir.

Além disso, o amor é a força que valoriza qualquer dádiva, tanto quanto a maneira de dar.
Muitos de nossos irmãos necessitados, junto de quem praticamos o ideal da beneficência, decerto agradecem o concurso materializado que lhes possamos ofertar, mas quantas vezes estimariam, acima de tudo, receber uma bênção de solidariedade e otimismo que lhes restaure a alegria de viver e o conforto de trabalhar!
Reflitamos de igual modo nos companheiros temporariamente apresados no cárcere das paixões e reconheceremos que o mundo tem tanta necessidade de amor quanto de luz.
Meditemos nisso, e, diante da parte de trabalho que nos compete, na construção do Reino de Deus entre os homens, seja à frente dos felizes ou dos imperfeitamente felizes, dos justos ou dos menos justos, comecemos por estender com as dádivas de nossas mãos aquelas outras que nos é lícito nomear como sendo o favor do sorriso fraterno, o benefício da boa palavra, o empréstimo da esperança e o donativo do entendimento.


Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Hora de Luz



Quando tudo de pareça frustração e impedimento;
no instante em que a solidão te obrigue a pensar e repensar;
em observando os recursos necessário a própria
subsistência cada vez mais distantes;
no momento em que os melhores amigos te considerarem incapaz para o serviço a fazer;
na travessia de graves desgostos;
nas épocas de crise, quando a provação te procure
para demoradas visitas;
ouvindo os pregoeiros do pessimismo e do desalento;
diante das ocorrências complicadas e dolorosas;
quando o desânimo te ameace;
ou na ocasiãoem que tõdas as circunstâncias surjam conjugadas como que favorecendo a ignorância e o desequilibrio;
guarda a certeza de que estás atingindo a hora de luz
em que desfrutas a oportunidade de revelar a força de tua
fé e o ensejo bendito em que podes, com a benção de
Deus, esquecer o mal e fazer o bem.

(Francisco Cândido Xavier, por Emmanuel.
mensagem extraida do livro "Algo Mais")

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Corpo e Alma


Atentos ao imperativo da elevação espiritual, convém destacar tanto as necessidades do corpo, quanto as da alma...

Procuras odontólogos distintos para o tratamento dentário.

Urge ao mesmo tempo, aprimorar a palavra, a fim de que o verbo não se nos faça azorrague na boca.

Consultas oculistas e otorrinos diversos para retificar os desequilíbrios dos olhos e dos ouvidos.

Nas mesmas condições é forçoso aprender a ouvir e ver construtivamente para que o mal não nos destrua as plantações de concórdia e esperança.

Buscas o ortopedista para socorro aos pés quando desajustados.

Imperioso igualmente orientar os próprios passos na direção do bem.

Solicitas amparo ao cardiologista para sanar desacertos do campo circulatório.

De igual modo é preciso sublimar os impulsos do coração.

Contratas os serviço especializado de costureiras e alfaiates para que te assegurem a apresentação pessoal no nível adequado à distinção e à limpeza.

Necessário da mesma sorte, que venhamos a aperfeiçoar expressões e maneiras no trato com os outros.

O zelo devido às situações e aparências do corpo é igualmente aplicável aos empeços e problemas da alma se nos propomos construir a própria felicidade.

Compreendamos que liquidar manifestações de cólera ou rudeza, crueldade ou impertinência será sempre trabalho de controle e de educação.

(Obra: Coragem)

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

André Luiz & Waldo Vieira

Perante a Natureza


De alma agradecida e serena, abençoar a Natureza que o acalenta, protegendo, quanto possível, todos os seres e todas as coisas na região em que respire.

A Natureza consubstancia o santuário em que a sabedoria de Deus se torna visível.

Preservar a pureza das fontes e a fertilidade do solo.

Campo ajudado, pão garantido.

Cooperar espontaneamente na ampliação de pomares, tanto quanto auxiliar a arborização e o reflorestamento.

A vida vegetal é moldura protetora da vida humana.

Prevenir- se contra a destruição e o esbanjamento das riquezas da terra em explorações abusivas, quais sejam a queima dos campos, o abate desordenado das árvores generosas e o explosivo na pesca.

O respeito à Criação constitui simples dever.

Utilizar o tesouro das plantas e das flores na ornamentação de ordem geral, movimentando a irrigação e a adubagem na preservação que lhes é necessária.

O auxílio ao vegetal exprime gratidão naquele que lhe recebe os serviços.

Eximir- se de reter improdutivamente qualquer extensão de terra sem cultivo ou sem aplicação para fins elevados.

O desprezo deliberado pelos recursos do solo significa malversação dos favores do Pai.

Aplicar as forças naturais como auxiliares terapêuticos na cura das variadas doenças, principalmente o magnetismo puro do campo e das praias, o ar livre e as águas medicinais.

Toda a farmacopéia vem dos reservatórios da Natureza.

Furtar- se de mercadejar criminosamente com os recursos da Natureza encontrados nas faixas de terra pelas quais se responsabilize.

O mordomo será sempre chamado a contas.

“Pois somos cooperadores de Deus” - Paulo. (I CORÍNTIOS, 3: 9.)

(Livro: Conduta Espírita)

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Tensão Emocional

Não raro, encontramos, aqui e ali, os irmãos doentes por desajustes emocionais.
Quase sempre, não caminham. Arrastam-se. Não dialogam. Cultuam a queixa e a lamentação.
E provado está que, na Terra, a tensão emocional da criatura encarnada se dilata com o tempo.
Insegurança, conflito íntimo, frustração, tristeza, desânimo, cólera, inconformidade e apreensão, com outros estados negativos da alma, espancam sutilmente o corpo físico, abrindo campo a moléstias de etiologia obscura, à força de se repetirem constantemente, dilapidando o cosmo orgânico.
Se consegues aceitar a existência de Deus e a prática salutar dessa ou daquela religião em que mais te reconfortes, preserva-te contra semelhante desequilíbrio.
Começa, aceitando a própria vida, tal qual é, procurando melhorá-la com paciência.
Aprende a estimar os outros, como se te apresentem, sem exigir-lhes mudanças imediatas.
Dedica-te ao trabalho em que te sustentes, sem desprezar a pausa de repouso ou o entretenimento que se te restaurem as energias.
Serve ao próximo, tanto quanto puderes.
Detém-te no lado melhor das situações e das pessoas, esquecendo o que te pareça inconveniente ou desagradável.
Não carregues ressentimentos.
Cultiva a simplicidade, evitando a carga de complicações e de assuntos improdutivos que te furtem a paz.
Admite o fracasso por lição proveitosa, quando o fracasso possa surgir.
Tempera a conversação com o fermento da esperança e da esperança e da alegria.
Tanto quanto possível, não te faças problema para ninguém, empenhando-te a zelar por ti mesmo.
Se amigos te abandonam, busca outros que consigam compreender com mais segurança.
Quando a lembrança do passado não contenha valores reais, olvida o que já se foi, usando o presente na edificação do futuro melhor.
Se o inevitável acontece, aceita corajosamente as provas em vista, na certeza de que todas as criaturas atravessam ocasiões de amarguras e lágrimas.
Oferece um sorriso de simpatia e bondade, seja a quem for.
Quanto à morte do corpo, não penses nisso, guardando a convicção de que ninguém existiu no mundo, sem a necessidade de enfrentá-la.
E, trabalhando e servindo sempre, sem esperar outra recompensa que não seja a bênção da paz na consciência própria, nenhuma tensão emocional te criará desencanto ou doença, de vez que se cumpres o teu dever com sinceridade, quando te falte força, Deus te sustentará e onde não possas fazer todo o bem que desejas realizar Deus fará sempre a parte mais importante.

Viver o Agora



Este é o teu momento de viver intensamente a realidade da vida.

Desnecessário recordar que, agora, o teu momento presente é relevante para a aquisição dos bens inestimáveis para o Espírito eterno.

Há muito desperdício de tempo, que se aplica nas considerações do passado como em torno das ansiedades do futuro.

A tomada de consciência é um trabalho de atualidade, de valorização das horas, de realização constante.

A vida é para ser vivida agora.

Postergar experiências, significa prejuízo em crescimento na economia da vida.

Antecipar ocorrências, representa precipitação de fatos que, talvez, não sucederão, conforme agora, tomam curso.

As emoções canalizadas em relação ao passado ou ao futuro dissipam ou gastam a energia vital, que deve ser utilizada na ação do momento.

Se vives recordando o passado ou ansiando pelo futuro, perdes a contribuição do presente, praticamente nada reservando para hoje.

O momento atual é a vida, que resulta das atividades pretéritas e elabora o programa do porvir.

Encoraja-te a viver hoje, sentindo cada instante e valorizando-o mediante a consciência das bênçãos que se encontram à tua disposição.

A vida é um sublime dom de Deus.

Desse modo, agradece a Deus, o sublime legado, que é a tua vida, por Ele concedido.

Vive, jubilosamente, hoje, sejam quais forem as circunstâncias em que se te apresente a existência.

Se o instante é de aflição, resigna-te, agindo corretamente, e estarás produzindo para o futuro que te chegará com paz.

Se o momento é de gozo, recorda-te dos padecentes à tua volta e reparte alegria, ampliando o círculo de ventura.

Quem despertou para a superior finalidade da vida, vive-a, a cada momento, vivendo-a principalmente agora.

(Joanna de Ângelis / Divaldo P. Franco)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Joanna de Ângelis & Divaldo Pereira Franco

Momentos de Aflição e Provas

Momentos de aflição e prova surgem pelo caminho, inesperados, concitando à disciplina espiritual indispensável ao processo evolutivo do ser.
Águas serenas que são açoitadas por fortes vendavais; paisagens tranqüilas que se modificam ao império de tempestades violentas; climas de paz que se convertem em campos de lutas rudes; viagem segura, que se torna perigosa, objetivos próximos de conquistados, que se perdem de repente; saúde que cede à enfermidade; amigos dedicados, que vão adiante; adversários vigorosos, que surgem ameaçadores; problemas econômicos, que aparecem, constringentes, tantos são os motivos de aflição e prova, que ninguém avança, na Terra, sem os experimentar.
Enquanto domiciliado no corpo, espírito algum se encontra em segurança, vitorioso, isento de experiências difíceis, de possíveis insucessos.
Os momentos de prova e aflição constituem recursos de aferição dos valores morais de cada um, mediante os quais o homem deve adquirir mais valiosas expressões iluminativas como suportes para futuros investimentos evolutivos.
Por isso, todos somos atingidos por tais métodos de purificação.
Vigia-te, no momento de aflição e prova, a fim de que não compliques, por precipitação, o teu estado íntimo.
Suporta o vendaval do testemunho com serenidade; recebe a adaga da acusação indébita com humildade; aceita o ácido da
reprimenda injusta com nobreza; medita diante do sofrimento com elevação de sentimentos.
Todos os momentos difíceis cedem lugar a
outros: os de paz e compreensão.
Não te desalentes, exatamente quando deves fortalecer-te para a luta.
São os instantes difíceis que as resistências morais devem estar temperadas, suportando as constrições que ameaçam derruir as fortalezas íntimas.
Quando estiveres a ponto de desfalecer, procura refúgio na oração.
Orando, renovar-se-ão tuas paisagens mentais e morais, elevando-te o ânimo e reconfortando-te espiritualmente.
Jesus, que não tinha qualquer dívida a resgatar e que é o Sublime Construtor da Terra, enquanto conosco não esteve isento dos momentos de aflição, demonstrando, amoroso, como vencê-los todos, e, ao mesmo tempo, ensinando a técnica de como retirar do aparente mal as proveitosas lições da felicidade.
Considera-Lhe os testemunhos, e, em qualquer momento em que sejas defrontado pela aflição ou prova, enfrenta a circunstância e extrai do amor a parte melhor da tua tarefa de santificação.

(De “Oferenda”)

Caminho, Verdade e Vida

Ao Salvar-nos

"Salva-te a ti mesmo e desce da cruz."
(Marcos,15:30.)


Esse grito de ironia dos homens maliciosos continua vibrando através dos séculos.
A criatura humana não podia compreender o sacrifício do Salvador. A Terra apenas conhecia vencedores que chegavam brandindo armas, cobertos de glórias sanguinolentas, heróis da destruição e da morte, a caminho de altares e monumentos de pedra.
Aquele Messias, porém distanciara-se do padrão habitual. Para conquistar, dava de si mesmo; a fim de possuir, nada pretendia dos homens para si próprio; no propósito de enriquecer a vida, entregava-se à morte.
Em vista disso, não faltaram os escarnecedores no momento extremo, interpelando o Divino.
Nesse testemunho, ensinou-nos o Mestre que, ao nos salvarmos, no campo da maldade e da ignorância ouviremos o grito da malícia geral, nas mesmas circunstâncias.
Se nos demoramos colados à ilusão do destaque, se somos trabalhadores exclusivamente interessados em nosso engrandecimento temporário na esfera carnal, com esquecimento das necessidades alheias, há sempre muita gente que nos considera privilegiados e vitoriosos; se ponderamos, no entanto, as nossas responsabilidades graves no mundo, chama-se loucos e, quando nos surpreende em experiências culminantes, revestidas da dor sagrada que nos arrebata a esferas sublimes, passa junto de nós exibindo gestos irônicos e, recordando os altos princípios esposados por nossa vida, exclama, desdenhosa: - "Salva-te a ti mesmo e desce da cruz."

(Emmanuel & Francisco Cândido Xavier)

domingo, 23 de janeiro de 2011

Lembranças - Meimei & Francisco C. Xavier


O mundo em que vivemos é propriedade de Deus.
 Devemos agradecer as bênçãos de Nosso Pai Celestial, todos os dias.
 O coração agradecido ao Senhor espalha a bondade e a alegria em seu nome.
 Jesus rendia graças a Deus, auxiliando o próximo.
 A Natureza diariamente glorifica a Divina Bondade, na luz do Sol, na suavidade do vento, no canto das aves e no perfume das flores.
 Quem ajuda às plantas e aos animais revela respeito e carinho na Criação de Nosso Pai Celestial.
 Devo ser bom para com todos, porque Deus tem sido infinitamente bom para comigo, em todas as ocasiões.
 Quem trabalha com alegria mostra reconhecimento ao Céu.
 Cooperando de boa-vontade com os outros, estaremos servindo a Deus.
  
(Da obra: Pai Nosso.)

Em Paz Com Todos


Muitas vezes, na trilha evangélica, fica o vazio deixado pelas afeições que nos exoneram do carinho maior, fica o travo da desilusão à frente dos que jornadeavam conosco ainda ontem e hoje se retiram, desorientados, da estrada que partilhávamos em serviço comum... Entretanto, isso é natural e fatal. Peçamos a Deus por eles. Nem mesmo nós que os amamos e que pela solidão passageira somos induzidos à capacidade de maiores reflexões, conseguimos saber quantas dores e quantas provas carregam !...
Sigamos, pois, à frente, abençoando a todos.
Que a luz do Senhor a todos alcance e proteja sempre.

(Livro: "Mais Luz")

Opiniões - Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

De modo geral, quando encarnados no mundo físico, apenas enxergamos os aleijados do corpo, os que perderam o equilíbrio corporal, os que se arrastam penosamente no solo, suportando escabrosos defeitos. Não possuímos suficiente visão para identificar os doentes do espírito, os coxos de pensamento, os aniquilados de coração.
Onde existissem somente cegos, acabaria a criatura perdendo o interesse e a lembrança do aparelho visual; pela mesma razão, na Crosta da Terra, onde esmagadora maioria de pessoas se constituem de almas paralíticas, no que se refere à virtude, raros homens conhecem a desarmonia de saúde espiritual que lhes diz respeito, conscientes de suas necessidades incontestes. Interfere-se pois, que a missão do Evangelho é muito mais bela e mais extensa que possamos imaginar. Jesus continua derramando bençãos todos os dias. E os prodígios ocultos, operados no silêncio de seu amor infinito, são maiores que os verificados em jerusalém e na Galiléia, porquanto os cegos e leprosos curados, segundo as narrativas apostólicas, voltaram mais tarde a enfermar e morrer. A cura de nossos espíritos doentes e paralíticos é mais importante, porquanto se efetua com vistas à eternidade.
É indispensável que não nos percamos em conclusões ilusórias. Agucemos os ouvidos, guardando a palavra do apóstolo aos gentios. Imprescindível é que nos levantemos, individualmente, sobre os próprios pés, pois há muita gente esperando as asas de anjo que lhe não pertencem.

(Obra: Caminho, Verdade e Vida)

André Luiz & Francisco Cândido Xavier - Nossa Vida Mental


As almas ingressam nas responsabilidades que procuram para si mesmas.
Segundo talhamos o nosso perfil moral, angariamos os favores das oportunidades de serviço diante das Leis Universais.
Ninguém foge aos estigmas da viciação com que sulca a estrutura da própria vida.
Paz significa vitória da mente sobre os seus próprios atributos.
Resguardemos, assim, a vida mental, na certeza de que o teor da nossa meditação condiciona a altura da nossa tranqüilidade.
Nada ocorre conosco sem resultado específico.
Teimosia no erro - conta agravada.
Ausência de disciplina - débito permanente.
Remorso - aviso da consciência.
Multiformes ocorrências no mundo interior anunciam constantemente o clima de nossa escolha.
A tempestade é precedida dos indícios inequívocos que lhe configuram a extensão.
De igual modo, através da análise real de nós mesmos, encontramos o exato esboço das futuras experiências. À vista disso, ante a luz do Evangelho, ninguém desconhece a essência do destino que se lhe desdobra ao porvir.
A justiça da Lei tem base na matemática. E quem possui parcelas determinadas pode ajuizar perfeitamente quanto à soma daquilo ou disso.
Entrega-te, pois, a novos haustos de esperança e supera as próprias limitações, atendendo aos apelos do amor que ecoam da Altura.
Reúne humildade e serviço, simplicidade e perdão, estudo e caridade, bondade e tolerância, no esforço de cada dia, e com, semelhantes, fragmentos de amor e luz levantarás o templo divino de tuas mais belas aspirações, diante da Eternidade.


Viver em Paz



“... Vivei em paz...”. – Paulo (II Coríntios, 13:11).

Mantém-te em paz.
É provável que os outros te guerreiem, gratuitamente, hostilizando-te a
maneira de viver, entretanto podes avançar em teu roteiro, sem guerrear a
ninguém.
Para isso, contudo – para que a tranqüilidade te banhe o pensamento –, é
necessário que a compaixão e a bondade te sigam todos os passos.
Assume contigo mesmo o compromisso de evitar a exasperação.
Junto da serenidade poderás analisar cada acontecimento e cada pessoa no
lugar e na posição que lhes digam respeito.
Repara, carinhosamente, os que te procuram o caminho...
Todos os que surgem, aflitos ou desesperados, coléricos ou desabridos,
trazem chagas ou ilusões. Prisioneiros da vaidade ou da ignorância, não
souberam tolerar a luz da verdade e clamam irritadiços... Unge-te de piedade e penetra-lhes os recessos do ser e identificarás, em todos eles, crianças espirituais, que se sentem ultrajadas ou contundidas.
Uns acusam, outros choram.
Ajuda-os, enquanto podes.
Pacificando-lhes a alma, harmonizarás, ainda mais a própria vida.
Aprendemos a compreender cada mente em seu problema.
Recorda-te de que a Natureza, sempre divina em seus fundamentos, respeita a lei do equilíbrio e conserva-a sem cessar.
Ainda mesmo quando os homens se mostram desvairados, nos conflitos abertos, a Terra é sempre firme e o Sol fulgura sempre.
Viver de qualquer modo é de todos, mas viver em paz consigo próprio é
serviço de poucos.

(De “Segue-me!...”, Emmanuel & Francisco Cândido Xavier)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Opiniões

"Ai de vós, quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas." - Jesus
(Lucas, 6:26.)


Indubitavelmente, muitas pessoas existem de parecer estimável, às quais podemos recorrer nos momentos oportunos, mas que ninguém despreze a opinião da própria consciência, porquanto a voz de Deus, comumente, nos esclarecerá nesse santuário divino.
Rematada loucura é o propósito de contar com a aprovação geral ao nosso esforço.
Quando Jesus pronunciou a sublime exortação desta passagem de Lucas, agiu com absoluto conhecimento das criaturas. Sabia o Mestre que, num plano de contrastes chocantes como a Terra, não será possível agradar a todos simultaneamente.
O homem da verdade será compreendido apenas, em tempo adequado, pelos espíritos que se fizerem verdadeiros. O prudente não receberá aplauso dos imprudentes.
O Mestre, em sua época, não reuniu as simpatias comuns. Se foi amado por criaturas sinceras e simples, sofreu impiedoso ataque dos convencionalistas. Para Maria de Magdala era Ele o Salvador; para Caifás, todavia, era o revolucionário perigoso.
O tempo foi a única força de esclarecimento geral.
Se te encontras em serviço edificante, se tua consciência te aprova, que te importa as opiniões levianas ou insinceras?
Cumpre o teu dever e caminha.
Examina o material dos ignorantes e caluniadores como proveitosa advertência e recorda-te de que não é possível conciliar o dever com a leviandade, nem a verdade com a mentira.

(Obra: Caminho, Verdade e Vida)

Joanna de Ângelis & Divaldo Pereira Framco

Convite à Simplicidade

“Considerai os lírios...” (Lucas: 12-27)



Complementos e atavios representam não poucas vezes dispensáveis adornos.

Como o excesso em uns é escassez noutros, onde abundam complexidades rareiam sensatez e equilíbrio.

O belo exterioriza-se em aura de harmonia e a força da beleza reside na discrição da simplicidade.

A sabedoria consiste em apresentar com simplicidade os mais complexos conceitos, utilizando-se de expressões fáceis.

Supõem muitas pessoas que as construções gongóricas, em que abundam verbetes inusuais, revelam conhecimento. Verdadeiramente tal comportamento reflete exibição de linguagem com prejuízo da clareza da informação.

A vida moderna, com as múltiplas facetas em que se apresenta, constringe o homem, tolhendo-lhe muito da espontaneidade, engendrando fugas psicológicas à realidade, que funcionam como drenos à emoção sobrecarregada de tensão e ansiedade.

Simples, pulcras, são todas as coisas de elevada grandeza e de alto sentido espiritual.

Os homens que se notabilizam nos diversos campos do conhecimento humano e se revelaram protótipos da beleza espiritual nas artes, na filosofia, mártires da fé e heróis da renúncia, se fizeram caracterizar e se engrandeceram através da simplicidade, envergando as vestes da humildade.

Os utilitaristas estão engajados nos grupos dos oportunistas e se mascaram com artifícios superficiais, impressionando pelo exterior, todavia, vazios de conteúdo e valor.

Vencem pela força incapazes de se vencerem a si mesmos.

Arrimados à petulância tornam-se violentos e sem qualidades morais legítimas preferem ser temidos por total impossibilidade de se fazerem amados.

Constituem as classes dominadoras, transitando pelos estreitos corredores de tormentosas frustrações, que não raro terminam na porta falsa do suicídio direto ou indireto.

Resguarda-te na simplicidade.

Evita as aparências fulgurantes e malsinadas.

Reflete na lição do Senhor em torno dos lírios do campo e sua beleza comovedora, insuperável, medrando a esmo, do lodo, exteriorizando aroma penetrante.

Ele próprio, Nosso Divino Senhor, cantando e vivendo as excelsas belezas do Reino Celeste, se utilizou da simplicidade de tal modo que o Seu Evangelho continua como um hino de luz tecido com as melodias inspiradas no povo simples e sofredor de todos os tempos.


(De “Convites da Vida”)

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Hammed & Francisco do Espírito Santo Neto

A Arte da Aceitação

“O homem pode abrandar ou aumentar a amargura das suas provas pela maneira que encara a vida terrestre...”
“...contentar-se com sua posição sem invejar a dos outros, de atenuar a impressão moral dos reveses e das decepções que experimenta; ele haure nisso uma calma e uma resignação...” Cap. 5 ESE. item 13)

Aceitar nossa realidade tal qual é representa um ato benéfico em nossa vida. Aceitação traz paz e lucidez mental, a fim de que visualizemos o ponto principal da partida, e utilizemos satisfatoriamente nossa transformação interior.

Só conseguimos modificar aquilo que admitimos e que vemos claramente em nós mesmos, isto é, se nos imaginarmos outra pessoa, vivendo em outro ambiente, não teremos um bom contato com o presente e, conseqüentemente, não depararemos com a realidade.

A propósito, muitos de nós fantasiamos o que poderíamos ser, não convivendo, porém, com nossa pessoa real desgastando desta forma uma enorme energia, por carregar constantemente uma série de máscaras como se fossem utilitários permanentes.

A atitude de aceitação é quase sempre característica dos adultos serenos, firmes e equilibrados, e soma-se também a ela o estímulo que possuem de senso de justiça, pois enxergam a vida através do prisma da eternidade. Esses indivíduos retêm considerável "coeficiente evolutivo", do qual se deduz que possuem um potencial de aceitação pois aprenderam a respeitar os mecanismos da vida, acumulando pacificamente as experiências necessárias ao seu amadurecimento e desenvolvimento espiritual.

(De “Renovando atitudes”)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Passo Acima

Burilamento moral e pratica do bem constituem o clima da caminhada para a
frente, no Reino do Espírito, mas não podemos esquecer que todo obstáculo e marcador
de oportunidade do passo acima, na senda da elevação.
Na escola, forma-se o aluno, teste a teste, para que se lhe garanta o
aprendizado cultural.

No educandário da vida, o espírito, de prova em prova, adquire o mérito
indispensável para a escalada evolutiva.
Toda lição guarda objetivo nobilitante, que se deve alcançar, através do estudo.
Qualquer dificuldade, por isso, se reveste de valor espiritual, que precisamos
saber extrair para que faca acompanhar do proveito justo.
Em qualquer estabelecimento de ensino, variam as matérias professadas.
Em toda a existência, as instruções se revelam com caráter diverso.
E assim que a hora do passo acima nos surge a frente, com expressões sempre
novas, possibilitando-nos a assimilação de qualidades superiores, em todos os sentidos.

Tentação, ― degrau de acesso a fortaleza espiritual.
Ofensa recebida, ― ocasião de ganhar altura pela trilha ascendente do perdão.
Violência que nos fira ― ensejo para a aquisição de humildade.
Sofrimento ― vereda para a obtenção de paciência.
Necessidade no próximo significado em nos o impositivo da prestação de
serviço.

Quando a incompreensão ou a intolerância repontam nos outros, terá chegado
para nos o dia de entendimento e serenidade.
Não te revoltes, nem te abatas, quando atribulações te visitem. Desespero e
rebeldia, alem de gerarem conflito e lagrimas, são das respostas mais infelizes que
podemos dar aos desafios edificantes da vida.
Deus não nos confiaria problemas, se os nossos problemas não nos fossem
necessários.
Todo tempo de aflição e tempo do passo acima. De nos depende permanecer
acomodados a sombra ou avançar, valorosamente, para a obtenção de mais luz.

(Obra: Alma e Coração)

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Auxílio do Alto

Porque aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, se
abre.” - Jesus
(Mateus, 7: 8.)


“Desta maneira, serás filho das tuas obras, terás delas o mérito
e serás recompensado de acordo com o que hajas feito. - Cap. 25, 3.
Deus auxilia sempre.
Observa, porém, o edifício ainda o mais singelo que se levanta no mundo.
Todos os recursos utilizados procedem fundamentalmente da Bondade Infinita.
A inteligência do arquiteto, a força do obreiro, o apoio no solo e os
materiais empregados constituem dons da Eterna Sabedoria, contudo,
delineamentos da planta, elementos de alvenaria, metais diversos e agentes
outros da construção não se expressaram e nem se arregimentaram no serviço a
toque mágico.
0 lavrador roga bom tempo a Deus, mas não colhe sem plantar, embora Deus lhe
enriqueça as tarefas com os favores do clima.
As leis de Deus protegem a casa, no entanto, se o morador não a protege, as
mesmas leis de Deus, com o tempo, transformam-na em ruína, até que apareça
alguém com suficiente compreensão do próprio dever, que se proponha a
reconstruí-la e habitá-la com respeito e segurança.
Em toda parte, a natureza encarece o Apoio Divino, mas não deixa de
recomendar, ainda que sem palavras, o impositivo do Esforço Humano.
A Criação pode ser comparada à imensa propriedade do Criador que a usufrui
com todas as criaturas, em condomínio perfeito, no qual as responsabilidades
crescem com a extensão dos conhecimentos e dos bens obtidos.
Não te digas, dessa forma, sem a obrigação de pensar, estudar, influenciar,
programar, agir e fazer.
“Ajuda-te que o Céu te ajudará” - proclama a sabedoria.
Isso, no fundo, equivale a dizer que as leis de Deus estão invariavelmente
prontas a efetuarem o máximo em nosso favor, entretanto, nada conseguirão
realizar por nos, se não dermos de nós pelo menos o mínimo.

(Obra: O Livro da Esperança)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Caminho, Verdade e Vida

Zelo Próprio

"Olhai por vós mesmo, para que não percais o vosso trabalho, mas antes recebais o inteiro galardão."
(II João,8.)


A natureza física, não obstante a deficiência de suas expressões em face da grandeza espiritual da vida, fornece vasto repositório de lições, alusivas ao zelo próprio.
A fim de que o Espírito receba o sagrado ensejo de aprender na terra, receberá um corpo equivalente a verdadeiro santuário. Os órgãos e os sentimentos são as suas potências; mas, semelhante tabernáculo não se ergueria sem as dedicações maternas e, quando a criatura toma conta de se, gastará grande percentagem de tempo na limpeza, conservação e defesa do templo de carne em que se manifesta. Precisará cuidar da epiderme, da boca, dos olhos, das mãos, dos ouvidos.
Que acontecerá se algum departamento do corpo for esquecido? Excrescências e sujidades trarão veneno à vida.
Se o quadro fisiológico, passageiro e mortal, exige tudo isso, que não requer de nossa dedicação o Espírito com os seus valores eternos?
Se já recebestes alguma luz, desvela-te em não perdê-la.
Intensifica-a em ti.
Lava os teus pensamentos em esforço diário, nas fontes do Cristo; corrige os teus sentimentos, renova as aspirações colocando-as na direção de Mais Alto.
Não te cristalizes.
Movimenta-te no trabalho do zelo próprio, pois há "micróbios intangíveis" que podem atacar a alma e paralisá-la durante séculos.

(Emmanuel & Francisco Cândido Xavier)

Irmão José & Carlos A. Bacelli

Jardim de Afetos


Com tuas mãos, podes cultivar o teu jardim de afetos.
Sê generoso em tua casa...
Cuida de tuas flores, não permitindo que a erva daninha se alastre em teu canteiro de amor.
Afasta para longe o ciúme e o desrespeito.
Não anules flor alguma em seu perfume...
Deixa florirem à tua volta aqueles que são teus.
Incentiva-os.
Ama-os.
Que as tuas mãos não lhes despetalem os sonhos...
As mãos do jardineiro devem ser tão delicadas quanto as flores que acariciam.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O Milagre da Fé

Quando falamos em fé, abre-se na alma um campo imenso de alegria pois foi Jesus quem valorizou a confiança nas criaturas, quando dizia: “A tua fé te curou”.
Conscientizemo-nos de que temos em nós todas as qualidades, que podem nos levar à felicidade, curando todos os nossos desequilíbrios, removendo todas as nossas enfermidades, caso as tenhamos. Podemos dizer que esse é o milagre da fé, força poderosa que reside em nós, em forma de valores da vida, que bastam ser despertados em nosso próprio bem, que o Bem maior já aconteceu: a doação destes dons incomparáveis de vida eterna, pela Misericórdia Divina.
No entanto, para que possamos despertar essas luzes na nossa intimidade, convém saber que é necessário cultivar a persistência, na busca da ciência do amor, na constância da caridade bem orientada, na perseverança do perdão a todos aqueles que nos ofendem e caluniam, na firmeza de todos os ideais da fraternidade. Tendo essa firmeza até o fim, seremos salvos das investidas do mal, alcançando a harmonia em todos os sentimentos.
A fé é força divina, sendo o conjunto das virtudes que se apoderam da nossa consciência, instalando o amor em nosso coração. O Espírito, mesmo movendo-se em um corpo físico, pode acionar as forças da fé; depende dele mesmo, no aprimoramento das suas qualidades no campo dos sentimentos, alinhavando todos os dias, a força mental da educação dos seus próprios pensamentos, cuja convivência com eles ainda são segredos, sendo área enorme para ser trabalhada pela disciplina, como pela instrução.

Todavia, não podemos nos esmorecer; ao contrário, devemos enfrentar todos os meios de educar e aprender,que a mão de Deus não se fará esperar. O tempo vai nos revelando a verdade, de acordo com o crescimento das qualidades. Vale dizer: que sejamos perseverantes no ideal do bem comum, confiando sempre em Deus, que Ele não nos deixará órfãos. Pelas vias dos benfeitores espirituais, o Senhor nos ajuda e, para tanto,tenhamos Fé.
Como nos fala o Evangelho Segundo o Espiritismo, “a fé é a substância das coisas pensadas”, e nós dizemos que ela é também a sublimidade dos nossos sentimentos e a segurança da nossa vida.
Onde estiveres, tem certeza do que está fazendo, para que te firmes no conhecimento da verdade. Em tudo a força da fé penetra, tornando-se um milagre da natureza em nosso benefício, compreendendo que é vontade de Deus que, pela verdadeira fé, se faça o Cristo em nós como motivo da glória celestial.

No futuro, a própria medicina há de se consubstanciar-se na fé, porque ela predispõe o organismo para a cura de si mesmo. Toda alma perseverante no bem alcança a presença do Criador em todos os seus caminhos, e vive feliz, por escutar a voz de Jesus a lhe dizer “A paz seja contigo” e mais adiante, torna a ouvir: “A tua fé te curou!”

Todo aquele perseverante nas lições do Mestre ganha terreno no ambiente do amor, e quem ama nas modalidades que Jesus ensinou e viveu, sente a claridade dos Céus a convidá-lo para a felicidade.


(De “Cura-te a ti mesmo”,Miramez & João Nunes Maia)

sábado, 15 de janeiro de 2011

O Advogado da Cruz

No mundo antigo, o apelo à Justiça significava a punição com a morte. As dívidas pequeninas representavam cativeiro absoluto. Os vencidos eram atirados nos vales imundos. Arrastavam-se os delinqüentes nos cárceres sem esperança. As dádivas agradáveis aos deuses partiam das mãos ricas e poderosas. Os tiranos cobriam-se de flores, enquanto os miseráveis se trajavam de espinhos.
Mas, um dia, chegou ao mundo o Sublime Advogado dos oprimidos.
Não havia, na Terra, lugar para Ele. Resignou-se a alcançar a porta dos homens, através de uma estrebaria singela.
Em breve, porém, restaurava o templo da fé viva, na igreja universal dos corações amantes do bem. Deu vista aos cegos. Curou leprosos e paralíticos. Dignificou o trabalho edificante, exaltou o esforço dos humildes, quebrou as algemas da ignorância, instituiu a fraternidade e o perdão.
Processaram-no, todavia, os homens perversos, à conta de herético, feiticeiro e ladrão.
Depois do insulto, da ironia, da pedrada, conduziram-no ao madeiro destinado aos criminosos comuns.
Ele, que ensinara a Justiça, não se justificou; que salvara a muitos, não se salvou da crucificação; que sabia a verdade, calou-se para não ferir os próprios verdugos.
Desde esse dia, contudo, o Sublime Advogado transformou-se no Advogado da Cruz e, desde o supremo sacrifício, sua voz tornou-se mais alta para os corações humanos. ele, que falava na Palestina, começou a ser ouvido no mundo inteiro; que apenas conversava como o povo de Israel, passou a entender-se com as várias nações do Globo; que somente se dirigia aos homens de pequeno país, passou a orientar os missionários retos de todos os serviços edificantes da Humanidade.
Que importam, pois, nos domínios da Fé, as perseguições da maldade e os ataques da ignorância? O advogado da Cruz continua operando em silêncio e falará, em todos os acontecimentos da Terra, aos que possuam "ouvidos de ouvir".

(Emmanuel & Francisco C. Xavier)

A Luz no Coração

As sombras que recaem sobre a humanidade, no campo moral, nada mais são que a ausência do Evangelho nos corações das criaturas.
Daí a necessidade de uma vivência maior dentro dos padrões traçados por Jesus, por parte daqueles que já se encontram com o Mestre.
A esses, cabe a tarefa de iluminação do planeta.
Conforme o próprio Mestre asseverou, eles terão de ser o "sal da Terra", conservando a elevação do pensamento e dando o sabor da fraternidade à vida de relação.
Se a tarefa parece difícil, é oportuno recordar que, sem o
espírito de renúncia, desprendimento e disciplina, as dores da humanidade se agravariam ainda mais.
As sombras, contudo, hão de ser passageiras, porque o sol do amor de Deus não deixará que a ignorância imponha, por muito tempo, seus efeitos nefastos aos homens de boa vontade e amantes da paz.
Se a brutalidade ainda recrudesce, cabe aos seguidores do Cristo o desenvolvimento da concórdia, por meio do próprio exemplo, na prática dos ensinos evangélicos.
Se a dor moral ainda persiste, como efeito dos enganos e da rebeldia, o alívio por meio dos esclarecimentos é o único caminho e o principal recurso a ser mobilizado.
Se o homem se ressente de seus atos cheios de sombras, cabe a ele mesmo reerguer-se para a luz de Deus, a fim de construir em sua consciência a cidadela de paz que o mundo deseja.
Somente com o desenvolvimento do amor em níveis mais elevados, conseguirá o homem construir a sociedade livre das mazelas que hoje assolam o progresso.
Confiemos, porém, no amor do Pai, oferecendo nossos esforços, em nosso campo de atuação, para que a luz que todos desejamos venha a nascer dos nossos próprios corações.


(De “A mensagem do dia")

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Agenda Cristã - Emmanuel & Francisco C. Xavier

A Lógica

Quando o homem acende a luz da boa vontade no próprio coração, procura trabalhar incessantemente.
Quando trabalha, adquire conhecimento.
Quando conhece, amplia a visão espiritual.
Quando vê claramente, entra na posse da grande compreensão.
Quando compreende, aprende a sair de si próprio, abandonando a concha escura do egoísmo.
Quando abandona o antigo círculo da personalidade, encontra a alegria de ser útil.
Quando auxilia realmente, empreende em si mesmo a construção da verdadeira fraternidade.
Quando se sente o irmão do próximo e companheiro dos seus vizinhos, descobre no próprio coração o tesouro do amor.
Quando ama, sabe renunciar às antigas ilusões que o prendem às sombras.
Quando entra na posse da luz no santuário do sentimento, entrega-se ao sacrifício da própria existência, a favor de todos.
Abrir o coração e estender os braços, fraternalmente, para a vida e para a Natureza, servindo constantemente.
Esse é o nosso primeiro passo na aquisição do título de filhos da luz, segundo Jesus Cristo.

Concerto Para Uma Voz

Vinha de Luz - Emmanuel & Francisco Cândido Vavier

Igreja Livre

"Mas a Jerusalém que é de cima, é livre, a qual é mãe de todos nós." - Paulo. (GÁLATAS, 4:26.)


O exame isolado deste versículo sugere um tema de infinita grandeza para os discípulos religiosos do Cristianismo. A palavra do apóstolo aos gentios recorda-nos a igreja liberta do Cristo, não na esfera estreita dos homens, mas no ilimitado pensamento divino. O espírito orgulhoso e sectário, há tanto tempo dominante nas atividades da fé, encontra na afirmativa de Paulo de Tarso um antídoto para as suas venenosas preocupações. Em todas as épocas, têm vivido na Terra os nobres excomungados, os incompreendidos valorosos e os caluniados sublimes. Passaram, nos círculos das criaturas, qual acontece ainda hoje, perseguidos e desprezados, entre o sarcasmo e a indiferença. Por vezes, sofrem o degredo social por não se aviltarem ante as explorações delituosas do fanatismo; em outras ocasiões, são categorizados à conta de ateus pelas suas idéias mal interpretadas. É que, de quando em quando, rajadas de ódios e dúvidas sopram nas igrejas desprevenidas da Terra. Os crentes olvidam o "não julgueis" e confiam-se a lutas angustiosas. Semelhantes atritos, contudo, não alteram a consciência tranqüila dos anatematizados que se sentem sob a tutela do Divino Poder. Instintivamente, reconhecem que além da esfera obscura da ação física resplandece o templo soberano e invisível em que Jesus recolhe os servidores fiéis, sem deter-se na cor ou no feitio de suas vestimentas. Benfeitores e servos excomungados dos caminhos humanos, se tendes uma consciência sem mácula, não vos magoe a pedrada dos homens que se distanciam uns dos outros pelo separatismo infeliz! Há uma Igreja augusta e livre, na vida espiritual, que é acolhedora mãe de todos nós! ...

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Celso Martins

Angústia



Em versejar consiste o meu tormento
Pois canto, dos meus versos através,
Da existência o sublime encantamento
À maneira dos velhos menestréis...

Das musas sempre tive o doce alento
Dispensado aos poetas que, fiéis,
O que se passa n'alma em tal momento
Vão grafando em centenas de papéis!...

Das rimas pobre arauto tenho sido
Para mostrar à louca Humanidade
Que de amor, tudo deve ser tecido...

Mas dor cruel me rasga o peito vendo
Entre os homens o império da maldade,
Razão do seu sofrer, intenso e horrendo!

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Pensamentos

"Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude e se há algum louvor, nisso pensai." - Paulo. (Filipenses, 4:8).

Todas as obras humanas constituem a resultante do pensamento das criaturas. O mal e o bem, o feio e o belo viveram, antes de tudo, na fonte mental que os produziu, nos movimentos incessantes da vida.


O Evangelho consubstancia o roteiro generoso para que a mente do homem se renove nos caminhos da espiritualidade superior, proclamando a necessidade de semelhante transformação, rumo aos planos mais altos. Não será tão-somente com os primores intelectuais da Filosofia que o discípulo iniciará seus esforços em realização desse teor. Renovar pensamentos não é tão fácil como parece à primeira vista. Demanda muita capacidade de renúncia e profunda dominação de si mesmo, qualidades que o homem não consegue alcançar sem trabalho e sacrifício do coração. É por isso que muitos servidores modificam expressões verbais, julgando que refundiram pensamentos. Todavia, no instante de recapitular, pela repetição das circunstâncias, as experiências redentoras, encontram, de novo, análogas perturbações, porque os obstáculos e as sombras permanecem na mente, quais fantasmas ocultos.

Pensar é criar. A realidade dessa criação pode não se exteriorizar, de súbito, no campo dos efeitos transitórios, mas o objeto formado pelo poder mental vive no mundo íntimo, exigindo cuidados especiais para o esforço de continuidade ou extinção.

O conselho de Paulo aos filipenses apresenta sublime conteúdo. Os discípulos que puderem compreender-lhe a essência profunda, buscando ver o lado verdadeiro, honesto, justo, puro e amável de todas as coisas, cultivando-o, em cada dia, terão encontrado a divina equação.

Esforço pessoal


As grandes conquistas da Humanidade têm começo no esforço pessoal de cada um. Disciplinando-se e vencendo-se a si mesmo, o homem consegue agigantar-se, logrando resultados expressivos e valiosos. Estas realizações, no entanto, têm início nele próprio.
E possível que não consigas descobrir novas terras, a fim de te tornares célebre. Todavia, poderás desvelar-te interiormente para o bem, fazendo-te elemento precioso no contexto social onde vives.
Certamente, não lograrás solucionar o problema da fome na Terra. Não obstante, poderás atender a algum esfaimado que defrontes, auxiliando a diminuir o problema geral.
Não terás como evitar os fenômenos sísmicos desastrosos que, periodicamente, abalam o planeta. Assim mesmo, dispões de recursos para que a onda de acidentes morais não dizime vidas preciosas ao teu lado. De fato, não terás como impedir as enfermidades que ceifam as multidões que lhes tombam, inermes, ao contágio avassalador. Apesar disso, tens condições de oferecer as terapias preventivas do otimismo, da coragem e da esperança.
Diante das ameaças de guerra, das lutas e do terrorismo existentes que matam e mutilam milhões de homens, te sentes sem recursos para fazê-los cessar, mudando-lhes o rumo para a paz. Entretanto, a tua conduta pacífica e os teus esforços de amor serão instrumentos para gerar alegria e tranqüilidade onde estejas e entre aqueles com os quais compartes as tuas horas.
A violência urbana e a criminalidade reinantes não serão detidas ao preço dos teus mais sinceros desejos e tentativas honestas. Sem embargo, a tarefa de educação que desempenhes, modesta que seja, influenciará alguém em desalinho, evitando-lhe a queda no abismo da agressividade.
As sucessivas ondas de alienação mental e suicídios, que aparvalham a sociedade, não cessarão de imediato sob a ação da tua vontade. Muito embora, a tua paciência e bondade, a tua palavra de fé e de luz, conseguirão apaziguar aquele que as receba. oferecendo-lhe reajuste e renovação. Naturalmente, o teu empenho máximo não alterará o rumo das Leis de gravitação universal. Mas, se o desejares, contribuirás para o teu e o equilíbrio do teu próximo, em torno do Sol de Primeira Grandeza que é Jesus.
Os problemas globais merecem respeito. Mas, os individuais, que se somam, produzindo volume, são factíveis de solução.
A inundação resulta da gota de água. A avalanche se dá ante o deslocamento de pequenas partículas que se desarticulam.
A epidemia surge num vírus que venceu a imunização orgânica. Desta forma, faze a tua parte, mínima que seja, e o mundo melhorar-se-á. A sociedade, qual ocorre com o indivíduo. é o resultado de si mesma. Reajustando-se o homem, melhora-se a comunidade. E, partindo do teu empenho pessoal, para ser mais feliz, ampliando a área de bem-estar para outros, o mundo se fará mais ditoso e o mal baterá em retirada.

(Joanna de Ângelis & Divaldo P.Franco)

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Marco Prisco & Divaldo P. Franco

Sinal de Perigo

"Quando você estiver sitiado pela irritação, na iminência de ser vencido pela cólera, utilize urgente, uma destas regrinhas de fácil aplicação, a fim de permanecer ileso contra a investida de tão cruel verdugo:
Ore
A prece é antídoto para qualquer mal.
Silencie
Quem cala guarda valiosos recursos de equilíbrio.
Reflita
Reflexão como temperança é conselheira segura.
Conserve a Calma
A tranqüilidade pode ser considerada domicílio da paz.
Exercite a Paciência
Quem não pode esperar, está vencido antes de combater.
Confie no bem
Sem confiança não há clima de entusiasmo para a vitória.
Desculpe
Aquele que lhe cria problema é, em si mesmo, problema que se complica.
Observe antes de agir
Precipitada, qualquer solução é inadequada e falha.
Analise a Força da Fé
Enquanto ruge a tormenta, reforce a crença.
Ofereça a tentação à contabilidade da experiência –
Vitória que se alcança pode ser considerada lucro no Caixa da Vida"

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Os maus pensamentos intoxicam a alma.
Atraem o pessimismo e as presenças doentias dos Espíritos perturbados e maus.
Mantém a tua mente presa às idéias positivas, iluminativas, aos programas de enobrecimento, de cuja conduta te advirá o bem-estar íntimo e a alegria de viver.
O que pensares com insistência, hoje ou mais tarde se concretizará.
Os fatos se corporificam, de início, no campo mental, para depois se tornarem realidade no corpo físico.
Pensa no bem e banha-te com a luz do amor.

(Livro: Vida Feliz)

Caminho, Verdade e Vida

Aguilhões

"Duro é para ti recalcitrar contra o aguilhão."
(Atos,9:5.)

O caminho evolutivo está sempre repleto de aguilhões.
De outro modo, não enxergaríamos a porta redentora.
Entrega-se Deus aos filhos da Criação inteira, reparte com todos os tesouros de seu amor infinito, estimula-os a se elevarem, através de mil modos diferentes; entretanto, existem círculos numerosos como a Terra, em que as criaturas não se apercebem dessas realidades gloriosas e paralisam a marcha, dormindo no leito da ilusão.
Perante tal inércia, os mensageiros da Providência, aos quais se confiou a tarefa de iluminação dos que estacionam na sombra, promovem recursos para que se verifique o despertar.
Ciente de que Deus dá tudo - a vida, os caminhos, os bens infinitos, os gênios inspiradores e só pede as criaturas se lhe dirijam aos braços paternais - esses divinos emissários organizam os aguilhões. por amor aos seus tutelados.
Nesse programa, criou Jesus os mais nobres incitamentos, para a esfera terrestre. A riqueza e a pobreza, a fealdade e a formosura, o sofrimento e a luta são aguilhões ou oportunidades instituídos pelo Cristo, a benefício dos homens.
cada existência e cada pessoa tem a sua dificuldade particular, simbolizando ensejo bendito.
Analisa a tua vida, situa teus aguilhões e não te voltes contra eles.
Se um espírito da grandeza de Paulo de Tarso não podia recalcitrar, imagina o que se pedirá do nosso esforço.

(Emmanuel & Francisco C. Xavier)

domingo, 9 de janeiro de 2011

Em Busca da Felicidade

Estados melâncolicos são muito comuns no estágio evolutivo em que nos encontramos. A melancilia sempre se manifesta nas profundezas de nosso íntimo e de nossos sentimentos.Sabemos que não nos encontramos pela primeira vez na Terra, já que vivemos aqui em outras épocas, vestindo outras roupagens, convivendo com muitas pessoas que hoje ainda nos rodeiam.
Viajantes que somos da eternidade, trazemos muitos traumas e impressões das inúmeras existências vivenciadas por nós, em nosso pretérito.
Sem que percebamos, nosso passadoainda fala alto em nosso íntimo e pode, por isso, nos influenciar negativamente. Portanto, é comun que nos sintamos tristes, nostálgicos, saudosos de algo que ainda não sabemos explicar.Temos que nos precaver quando percebermos que estamos mergulhados nesses estados depressivos e melancólicos.
Reajamos, pois, diante dessas tristezas inexplicáveis e estados de abatimentos íntimos pois, ainda que não percebamos, elas é que nos direcionam a processos depressivos dolorosos.

(Sergito S. Cavalcanti)

Vontade de Deus

Quando nos reportamos à Vontade de Deus, referimos-nos ao controle da Sabedoria Perfeita que nos rege os destinos. E, observando nossa condição de espíritos eternos, acalentados pelo Infinito Amor da Criação, ser-nos-á sempre fácil reconhecer as determinações de Deus a nosso respeito, em todos os eventos do caminho, já que a Divina Providência preceitua para cada um de nós:

- Saúde e não doença;
- Trabalho e não ócio;
- Cultura e não ignorância;
- Conciliação e não discórdia;
- Paz e não desequilíbrio;
- Tolerância e não intransigência;
- Alegria e não tristeza;
- Esperança e não desânimo;
- Conformidade e não desespero;
- Perdão e não ressentimento;
- Êxito e não fracasso;
- Prudência e não temeridade;
- Coragem e não fraqueza;
- Fé e não medo destrutivo;
- Humildade e não subserviência;
- Intercâmbio e não isolamento;
- Disciplina e não desordem;
- Progresso e não atraso;
- Amor e não indiferença;
- Vida e não morte.

Se dificuldades, sofrimentos, desacertos e atribulações nos agridem a estrada, são eles criações nossas, repercussões de nossos próprios atos de agora ou do passado, que precisamos desfazer ou vencer, a fim de nos ajustarmos à Vontade de Deus, que nos deseja unicamente o Bem, a Felicidade e a Elevação no Melhor que sejamos capazes de receber dos patrimônios da vida, segundo as leis que asseguram a Harmonia do Universo.

Eis porque Jesus, exaltando isso, nos ensinou a reafirmar em oração:

- "Pai nosso, que se faça a Tua Vontade, assim na Terra como nos Céus."

(Livro: Mãos Unidas Emmanuel & Francisco Cândido Xavier)

Em Busca da Felicidade

O volume do ódio, cólera, ciúme, egoísmo, luxúria e cobiça que, imprudentemente para o nosso íntimo são fatores preponderantes para o surgimento de distúrbios orgânicos e psíquicos.
Vivamos, portanto, profilaticamente, na certeza do preceito
 bíblico, de que:"Se procurarmos as coisas de Deus, tudo o mais nos será dado de acréscimo".
Nada é mais saudável para o nosso corpo e mente, que a luta que temos que realizar em nós mesmos para que possamos enterrar definitivamente o homem velho, cheio de aflições e dificuldades, a fim de surgir o homem novo, pleno de amor e paz.
O caminho para essa transformação não está nos remédios, mas sim, na observância do código mais simples e perfeito que foi ditado aos homens, o Evangelho de Jesus.
Portanto, todas as vezes que entramos em desarmonia com as leis de Deus, estamos, indiretamente, provocando doenças e desequilíbrios em nosso corpo. físico.

(Sergito de Souza Cavalcanti)

Pavarotti & Bryan Adams - All for Love

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Jim Brichman



What The World Needs Now Is Love
What the world needs now is love, sweet love
It's the only thing that there's just too little of
What the world needs now is love, sweet love,
No not just for some but for everyone.
Lord, we don't need another mountain,
There are mountains and hillsides enough to climb
There are oceans and rivers enough to cross,
Enough to last till the end of time.
What the world needs now is love, sweet love
It's the only thing that there's just too little of
What the world needs now is love, sweet love,
No, not just for some but for everyone.
Lord, we don't need another meadow
There are cornfields and wheat fields enough to grow
There are sunbeams and moonbeams enough to shine
Oh listen, lord, if you want to know.
What the world needs now is love, sweet love
It's the only thing that there's just too little of
What the world needs now is love, sweet love,
No, not just for some but for everyone.
No, not just for some, oh, but just for everyone.

Simbá & Divaldo Pereira Franco

Poemas de Paz

Na corola de uma flor o orvalho da manhã fitava o sol, emboscado na gota dágua e dizia jubiloso: “Sou uma lágrima de Deus. Na minha limpidez os dardos de luz dançam felizes e ficam luminosos.”

No abismo do oceano, perdida na concha escura de uma ostra, uma pérola inquiria: “Quem sou, tão apagada, aqui perdida?!”

O vento matinal derrubou o orvalho, atirou-lhe pó e envolvido fez-se lama que o sol do meio-dia crestou.

Arrancada por mergulhador aventureiro a pérola saiu da ostra e adornada de ouro foi engastada numa coroa de rei, refletindo em sua palidez a paz de quem soube esperar...

O coração quando ama se transforma em cítara a modular a cantata da esperança. O amor quando encontra o homem condu-lo à mansão da paz, embora não se sinta amado pelo amor que ama.

O título nobilitante somente é conferido após a vitória sobre os exames. Assim a paz: somente é ofertada após a vitória dos que combatem em luta.

No crepúsculo ético da atualidade, o Evangelho em suas lições profundas é o sol que aquece e acalenta. Para recebê-lo e detê-lo é necessário caminhar pela senda da paz íntima, coroado pela felicidade de servir.


(De “Poemas de Paz")

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Emmanuel & Francisco C. Xavier

Oremos Agindo

Vigiai e orai para que não entreis em tentação... - Jesus (Marcos, 14:38)

Diante da prova ora, envidando meios de transformá-la em experiência benéfica.
Diante da penúria orar, desenvolvendo serviço que a desfaça.
Diante da ignorância orar, acendendo luz que lhe dissipe a sombra.
Diante da enfermidade orar, procurando medicação que lhe afaste os prejuízos.
Diante do desastre orar, empreendendo ações que lhe anulem os afetos.
Diante da dificuldade orar, aproveitando a lição dos obstáculos de modo a evitá-los futuramente.
Diante do sofrimento orar, construindo caminhos para a devida libertação.
Diante da discórdia orar, edificando recursos para o estabelecimento da paz.
Orar sempre, mas agir cada vez mais para que se realize o melhor.
Disse-nos o Senhor: vigiai e orai para que não entreis em tentação... e, realmente, acima de tudo vigiam e oram aqueles que ativamente se esforçam para que, em tudo, se faça o bem que nos cabe fazer.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Em Plena Prova

Aguardas a melhora que parece tardia...
Suspiras em vão pelo amigo ideal...
Anseias inutilmente pela concórdia doméstica...
Clamas debalde pelo socorro em serviço...

Todavia, mesmo nos transes mais duros, espera com paciência.

Ontem devastamos lares alheios.
Hoje é preciso reconstruí-los.
Ontem traçamos caminhos de lodo e sombra aos pés dos outros.
Hoje é preciso purificá-los.
Ontem retínhamos sem proveito a fortuna de todos.
Hoje é preciso devolvê-la em trabalho, acrescida de juros.
Ontem cultivamos aversões.
Hoje é preciso desfazê-las, a preço de sacrifício.
Ontem abraçamos o crime, supondo preservar-nos e defender-nos.
Hoje é preciso reparar e solver.
Ontem cravamos no próximo o espinho do sofrimento.
Hoje é preciso experimentá-lo por nossa vez.

Se sobes calvário agreste, irriga em suor e pranto a senda para o futuro.
Qual ocorre ao enfermo que solicita assistência adequada antes da consulta, imploraste, antes do berço, a prova que te agracia.
Aspirando a sanar as chagas do pretérito, comissionaste o próprio destino para que te entregasse à existência o problema inquietante e a frustração temporária, o embaraço imprevisto e a trama da obsessão, o parente amargoso e a doença difícil.
Não atraiçoes a ti mesmo, fugindo ao merecimento da concessão.
Milhares de companheiros desenleados da carne suplicam o ensejo que já desfrutas.
Mergulhados na dor maior, tudo dariam para obter a dor menor em que te refazes.

Desse modo, quando estiveres em oração, sorvendo a taça de angústia, na sentença que indicaste a ti próprio diante das Leis Divinas, roga a bênção da saúde e a riqueza da paz, a luz da consolação e o favor da alegria, mas pede a Deus, acima de tudo, o apoio da humildade e a força da paciência.

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Nos Caminhos da Vida...

Se te empenhas na construção do caminho para a Vida Superior, não te emaranhes na viscosa teia de interesses inferiores que porventura ainda te prendem à Terra.

Para isso é necessário te acauteles contra a leviandade com que tantas vezes perturbamos o roteiro do próximo.

***

Sem a bênção da confiança e da simpatia entre os homens, ninguém pavimenta para si mesmo a senda abençoada do amor.

Compreendendo, em razão disso, o ensinamento do Mestre, guarda a sobriedade com o respeito aos outros por teu programa de cada dia.

***

Não disputes posição de evidência onde muitos obedecem.

***

Não procures em teu favor privilégios inacessíveis a teu irmão.

***

Não amontoes disponibilidades financeiras pelo simples prazer da usura, onde a carência te cerca.

***

Não ostentes intelectualidade, ao lado da incultura.

***

Não desejes contentamento excessivo ao lado de quem chora.

***

Em suma, não indisponhas os semelhantes contra ti próprio, de vez que a subida para o Alto é feita em degraus de bondade e entendimento.

***

Não te armes com valores perecíveis do mundo, na marcha da ascensão para Deus e, sim, entesoura no coração e nos braços, nos ouvidos e nos olhos, nas mãos e nos pés, nos raciocínios e nos sentimentos a luz da boa vontade para com todos, porque somente compreendendo e amparando aos que nos rodeiam é que conquistaremos da Providência Divina o auxílio indispensável e positivo em favor de nós mesmos.


(De “Inspiração")
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...